Alimentação do bebê: 0 aos 12 meses

A alimentação do bebê deve ser feita somente com leite materno ou fórmula infantil até os 6 meses de idade. No entanto, a partir do 6º mês o leite não fornece mais todos os nutrientes que o bebê precisa para se desenvolver e, por isso, a Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda a introdução de alimentos na dieta do bebê.

Assim, o bebê deve começar a comer papas de frutas amassadas ou raspadas, assim como a papa principal, preparada com vegetais, tubérculos, leguminosas e proteínas. Além disso, quando o bebê inicia a alimentação complementar é importante que também beba água entre as refeições para evitar a desidratação, prisão de ventre ou sobrecarga dos rins. 

A introdução gradativa dos alimentos deve ser feita após a avaliação do pediatra ou nutricionista, que vai adequar os tipos e as quantidades de alimentos para cada bebê. Saiba quando iniciar a introdução dos alimentos na dieta do bebê.

Alimentação do bebê: 0 aos 12 meses

A alimentação do bebê deve ser feita de acordo com a idade:

1. Dos 0 aos 6 meses

A alimentação do bebê nos primeiros 6 meses, deve ser feita somente com leite materno ou fórmula infantil.

O leite materno fornece todos os nutrientes que o bebê precisa e deve ser oferecido sob livre demanda, ou seja, quando o bebê quiser. A Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda que o leite materno seja oferecido à criança até os 2 anos de idade ou mais. Além disso, o leite materno exclusivo até os 6 meses de idade, oferece a quantidade de água que o bebê precisa.

A fórmula infantil também oferece os nutrientes necessários para o bebê e é indicada quando a mãe não consegue amamentar ou quando está realizando algum tratamento onde a amamentação não é indicada. O bebê que se alimenta de fórmula infantil deve ingerir 700 ml de água (distribuídos entre a água da fórmula infantil e água pura) ao longo do dia, para evitar prisão de ventre e sobrecarga dos rins. Veja a quantidade de água de acordo com a idade do bebê.

2. Aos 6 meses

Aos 6 meses, acontece a introdução gradativa na dieta do bebê dos alimentos que vão complementar o leite materno ou a fórmula infantil. Nesta etapa o bebê deve fazer o total de 3 refeições por dia, sendo 1 papa de fruta no lanche da manhã e no lanche da tarde e 1 papa principal no almoço ou no jantar. Entenda melhor como deve ser a alimentação do bebê aos 6 meses.

As frutas, vegetais, cereais e proteínas das papas devem ser oferecidos de forma separada no prato, para que o bebê conheça os diferentes sabores e texturas dos alimentos, e as papas devem ser preparadas como nos exemplos a seguir:

  • Papa de frutas: devem-se preferir as frutas frescas pois são fonte de vitaminas, fibras e minerais e devem ser raspadas ou amassadas, como banana, abacate, manga, laranja, pera e maçã;
  • Papa principal: esta papa deve ser preparada com 1 porção de cereais, como arroz e macarrão, ou tubérculos, como aipim e batata + 1 porção de vegetais, como abóbora, brócolis e cenoura + 1 porção de leguminosas, como feijão + 1 porção de proteína, como carne ou peixe. Deve ser amassada com garfo e pode ser temperada com ervas frescas, sem adição de sal.

É importante que o bebê coma os alimentos separadamente no prato, pois isso também facilita que os pais identifiquem se algum alimento causa alergia ou intolerância. 

Nesta fase, o principal alimento do bebê ainda é o leite materno ou a fórmula infantil, que devem ser oferecidos com as papas de frutas e em outros horários ao longo do dia.

Além disso, como o bebê começa a comer alguns alimentos, aumentando a ingestão de fibras, proteínas e sódio, também deve ingerir 700 ml de água por dia (distribuídos entre a água do leite materno ou fórmula infantil, a água usada em preparações, como sopas e ensopados, e água pura).

3. Dos 7 aos 8 meses

Dos 7 aos 8 meses, o bebê passa a comer mais uma papa principal por dia, sendo 1 papa principal no almoço e outra no jantar, além de 1 papa de frutas no lanche da manhã e da tarde. As papas devem ser preparadas com frutas e vegetais frescos, cereais ou tubérculos, proteína e leguminosas. Conheça melhor como deve ser a alimentação do bebê a partir dos 7 meses.

O leite materno, que deve ser oferecido de acordo com a vontade da criança, ou a fórmula infantil, seguindo a recomendação do pediatra, ainda são as principais refeições do bebê nesta idade e devem ser oferecidos com as papas de frutas e nas outras refeições do dia.

A necessidade de água aumenta um pouco a partir dos 7 meses, sendo recomendada a ingestão de 800ml por dia. É importante considerar a água do leite materno ou a água utilizada da fórmula infantil, a água usada no preparo das sopas e ensopados e a água pura, que deve ser dada ao bebê ao longo do dia e em pequenas porções.

4. Dos 9 aos 11 meses

Dos 9 aos 11 meses o bebê mastiga melhor e pode começar a comer os alimentos picados e as carnes desfiadas. Nesta fase, o bebê continua a comer a papa principal no almoço e no jantar e a papa de frutas frescas no lanches da manhã e da tarde, juntamente com o leite materno ou a fórmula infantil. Veja algumas receitas de papinhas para bebês com 9 meses.

O leite materno ou fórmula infantil ainda são necessários para o bebê nesta fase, mas a comida passa a fornecer mais nutrientes e energia que o bebê precisa. Por isso, é importante prestar atenção aos sinais de fome, quando a criança fica alegre ou aponta para os alimentos, e saciedade, quando a criança come mais devagar, empurra o alimento ou demora para engolir.

Dos 9 aos 11 meses, a ingestão de água recomendada se mantém em torno de 800 ml por dia, levando em conta a água do leite materno ou fórmula infantil, a água pura e a água usada em preparos como sopas e ensopados.

5. A partir dos 12 meses

A partir dos 12 meses começam a nascer alguns dentes no bebê e ele já consegue segurar a colher. Com isso, o bebê pode começar a comer as mesmas comidas do resto família, mas é importante que ainda tenha a supervisão dos pais ou responsáveis.

No café da manhã do bebê deve ser acrescentada mais uma porção de frutas. Com isso, ele passa a comer papa de frutas frescas no café da manhã, no lanche da manhã e da tarde com leite materno ou fórmula infantil, e as papas principais no almoço e no jantar.

Outra mudança na dieta do bebê a partir dos 12 meses é a recomendação do consumo de leite e derivados, como iogurtes e queijos, pois são ricos em cálcio, um mineral importante para a formação dos ossos e dentes da criança. Porém, o consumo excessivo de leite pode atrapalhar a absorção do ferro, um mineral importante para evitar anemia e, por isso, o bebê deve consumir o máximo de 600 ml da bebida por dia.

Além disso, é recomendado que se dê em torno de 1300 ml de água por dia a partir dos 12 meses, incluindo a água pura (que deve ser dada em copo ou xícara e entre as refeições), a água do leite materno ou fórmula infantil e a água usada em preparações como sopas.

O que o bebê não deve comer

Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, o bebê não deve comer alimentos industrializados, como chocolates, salsichas, sorvetes, biscoitos, sucos de caixinha ou em pó, refrigerantes ou molhos prontos. Além disso, também não é recomendado usar sal ou açúcar na preparação das refeições de crianças até os 2 anos de idade. Veja mais exemplos de alimentos que o bebê não pode comer até os 2 anos de idade.

Nesta fase, o paladar do bebê está em desenvolvimento e ele pode se acostumar com o excesso de gordura, o sabor doce ou salgado destes tipos de alimentos, contribuindo para um hábito alimentar ruim, que pode causar obesidade ou outros problemas de saúde ainda na infância.

Vantagens do leite materno

O leite materno é um alimento completo que tem todos os nutrientes necessários para o crescimento e desenvolvimento saudável do bebê, além de ser de fácil digestão e fornecer anticorpos que fortalecem o sistema imunológico. Por esses motivos, o leite materno é recomendado exclusivamente até os 6 meses, podendo ser mantido até os 2 anos de idade ou mais, mesmo que a criança já faça todas as refeições. 

Além das vantagens para o bebê, a amamentação também traz benefícios para a mãe, como fortalecer a relação com o bebê, ajudar na perda de peso, diminuir o sangramento após o parto e prevenir câncer de mama, ovário e endométrio.

Quando usar fórmula infantil

O uso da fórmula infantil somente é indicada pelos pediatras quando a mãe não consegue amamentar ou quando a amamentação no peito é contra indicada, como no caso de doenças contagiosas ou uso de alguns medicamentos. 

Para alimentar o bebê com fórmula infantil, deve-se seguir as recomendações do pediatra sobre o tipo e quantidade de fórmula adequada para cada bebê. Também é importante lembrar que as crianças que usam fórmulas infantis precisam beber água, para evitar a prisão de ventre e sobrecarga dos rins.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Manual de orientação do departamento de nutrologia. 2012. Disponível em: <https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/publicacoes/14617a-pdmanualnutrologia-alimentacao.pdf>. Acesso em 25 Fev 2021
  • BROWN Judith. Nutrición en las diferentes etapas de la vida. 2º. México: Mc Graw Hill, 2006. 208-215.
  • ÁLVAREZ María Luisa et al. Nutrición en pediatría . 2ª. Caracas, Venezuela: Cania, 2009. 265-293.
  • ASOCIACIÓN ESPAÑOLA DE PEDIATRIA. Recomendaciones de la AEP sobre la alimentación complementaria. 2018. Disponível em: <https://www.aeped.es/sites/default/files/documentos/recomendaciones_aep_sobre_alimentacio_n_complementaria_nov2018_v3_final.pdf>. Acesso em 11 Abr 2019
  • GREER Frank et al. The Effects of Early Nutritional Interventions on the Development of Atopic Disease in Infants and Children: The Role of Maternal Dietary Restriction, Breastfeeding, Hydrolyzed Formulas, and Timing of Introduction of Allergenic Complementary Foods. American Academy of Pediatrics. 143. 4; 1-11, 2019
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Quando introduzir novos alimentos para o bebê. Disponível em: <https://www.sbp.com.br/especiais/pediatria-para-familias/nutricao/quando-introduzir-novos-alimentos-para-o-bebe/>. Acesso em 25 Fev 2021
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Guia alimentar Para crianças brasileiras menores de 2 anos. 2019. Disponível em: <http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/guia_da_crianca_2019.pdf>. Acesso em 25 Fev 2021
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Açúcar na infância: limites mais rígidos. Disponível em: <https://www.sbp.com.br/imprensa/detalhe/nid/acucar-na-infancia-limites-mais-rigidos/>. Acesso em 25 Fev 2021
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Qual a quantidade de água que bebês e crianças precisam tomar?. 2018. Disponível em: <https://www.sbp.com.br/imprensa/detalhe/nid/qual-a-quantidade-de-agua-que-bebes-e-criancas-precisam-tomar/>. Acesso em 30 Jun 2021
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Manual de orientação do departamento de nutrologia: alimentação do lactente ao adolescente, alimentação na escola, alimentação saudável e vínculo mãe-filho, alimentação saudável e prevenção de doenças, segurança alimentar. 2012. Disponível em: <https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/publicacoes/14617a-pdmanualnutrologia-alimentacao.pdf>. Acesso em 30 Jun 2021
Mais sobre este assunto: