Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Alzheimer Precoce: o que é, causas e como identificar

O Alzheimer precoce ou como também é chamada, "demência pré-senil", é uma doença genética hereditária e que tem início antes do 65 anos, normalmente entre 30 e 50 anos, e acontece pelo excesso de uma proteína chamada tau e amilóide-beta no cérebro, especificamente na parte responsável pela fala e memória. 

O Alzheimer precoce leva a perda da cognição e tem como principal sintomas a falha ou perda de memória, mas também podem estar presentes a confusão mental, agressividade e dificuldade em fazer atividades de rotina diária. 

Quando os primeiros sintomas surgem muitas vezes são confundidos com estresse e distração, e por isso é muito importante estar atento, especialmente quando existe histórico familiar da doença, pois o diagnóstico logo no início é importante para que a pessoa possa ser tratada antes do agravamento dos sintomas, além da doença ter a possibilidade ser mais facilmente controlada.

Alzheimer Precoce: o que é, causas e como identificar

Principais sintomas 

O Alzheimer causa a perda a cognição de forma rápida e sem razão aparente, tornando visível os seguintes sintomas:

  • Esquecimento de coisas comuns, como se almoçou ou não;
  • Falhas da memória frequentes, como sair de casa e esquecer o caminho para onde iria;
  • Confusão mental, como não saber onde está ou o que foi fazer no local;
  • Guardar objetos em lugares impróprios, como o telefone dentro da geladeira;
  • Permanecer em silêncio por longos períodos no meio de uma conversa;
  • Insônia, dificuldade para dormir ou vários despertares noturnos;
  • Dificuldade em realizar contas simples, como 3 x 4, ou pensar logicamente;
  • Perda dos movimentos, como dificuldade para levantar-se sozinho;
  • Angústia e depressão, como tristeza que não passa e vontade de se isolar;
  • Hipersexualidade, podendo acontecer masturbação em público ou ter falas inapropriadas;
  • Irritabilidade em excesso por não se lembrar de certas coisas ou não entender determinada situação;
  • Agressividade, como bater em familiares e amigos, atirar coisas contra parede ou chão;
  • Apatia, como se não nada mais tivesse importância.

Caso exista a suspeita de Alzheimer em si próprio ou em alguém próximo, o teste a seguir aborda 10 questões sobre o dia-a-dia, que mostra se existe realmente o risco de ser Alzheimer:

Teste rápido do Alzheimer. Faça o teste o descubra qual o seu risco de ter essa doença.

Começar o teste
Imagem ilustrativa do questionário
A sua memória está boa?
  • Tenho boa memória, apesar de haver pequenos esquecimentos que não interferem no meu dia-a-dia.
  • Às vezes esqueço algumas coisas como a pergunta que me fizeram, esqueço compromissos e onde deixei as chaves.
  • Costumo esquecer o que fui fazer na cozinha, na sala, ou no quarto e também o que estava fazendo.
  • Não consigo lembrar de informações simples e recentes como o nome de quem acabei de conhecer, mesmo se me esforçar muito.
  • É impossível lembrar onde estou e quem são as pessoas à minha volta.
Você sabe que dia é hoje?
  • Geralmente sou capaz de reconhecer as pessoas, os lugares e sei que dia é hoje.
  • Não me lembro muito bem que dia é hoje e tenho uma leve dificuldade para guardar datas.
  • Não sei bem em que mês estamos, mas sou capaz de reconhecer locais familiares, mas fico meio confuso em locais novos e posso me perder.
  • Não me lembro exatamente quem são meus familiares, onde moro e não me lembro de nada do meu passado.
  • Tudo que sei é o meu nome, mas às vezes lembro-me dos nomes dos meus filhos, netos ou outros parentes
Você ainda é capaz de tomar decisões?
  • Sou plenamente capaz de resolver problemas cotidianos e lido bem com questões pessoais e financeiras.
  • Tenho alguma dificuldade para entender alguns conceitos abstratos como porque uma pessoa pode ficar triste, por exemplo.
  • Estou me sentindo um pouco inseguro e tenho medo de tomar decisões e por isso prefiro que os outros decidam por mim.
  • Não me sinto capaz de resolver qualquer problema e a única decisão que tomo é o que quero comer.
  • Não sou capaz de tomar nenhuma decisão e sou totalmente dependente da ajuda de outras pessoas.
Você ainda tem uma vida ativa fora de casa?
  • Sim, consigo trabalhar normalmente, faço compras, estou envolvido com a comunidade, igreja e outros grupos sociais.
  • Sim, mas estou começando a ter alguma dificuldade para dirigir mas ainda me sinto seguro e sei lidar situações de emergência ou não planejadas.
  • Sim, mas sou incapaz de ficar sozinho em situações importantes e preciso de alguém para me acompanhar em compromissos sociais para conseguir parecer uma pessoa "normal" para os outros.
  • Não, não saio de casa sozinho porque não tenho capacidade e preciso sempre de ajuda.
  • Não, sou incapaz de sair de casa sozinho e estou muito doente para isso.
Como estão suas habilidades dentro de casa?
  • Ótimas. Continuo tendo tarefas dentro de casa, tenho hobbies e interesses pessoais.
  • Já não tenho vontade de fazer nada dentro de casa, mas se insistirem, posso tentar fazer alguma coisa.
  • Abandonei completamente minhas atividades, assim como hobbies e interesses mais complexos.
  • Tudo o que sei é tomar banho sozinho, me vestir e ver televisão e não sou capaz de fazer nenhuma outra tarefa dentro de casa.
  • Não sou capaz de fazer nada sozinho e preciso de ajuda para tudo.
Como está sua higiene pessoal?
  • Sou totalmente capaz de me cuidar, vestir, lavar, tomar banho e usar o banheiro.
  • Estou começando a ter alguma dificuldade para cuidar da minha própria higiene pessoal.
  • Preciso que outros me lembrem de que tenho que ir ao banheiro, mas consigo fazer minhas necessidades sozinho.
  • Preciso de ajuda para me vestir e me limpar e às vezes faço xixi na roupa.
  • Não consigo fazer nada sozinho e preciso que outra pessoa cuide da minha higiene pessoal.
Seu comportamento está mudando?
  • Tenho um comportamento social normal e não há nenhuma mudanças na minha personalidade.
  • Tenho pequenas mudanças no meu comportamento, personalidade e controle emocional.
  • Minha personalidade está mudando aos poucos, antes eu era muito simpático e agora estou meio rabugento.
  • Dizem que eu mudei muito e já não sou a mesma pessoa e já sou evitado pelos meus antigos amigos, vizinhos e parentes distantes.
  • Meu comportamento mudou muito e me tornei uma pessoa difícil e desagradável.
Você consegue se comunicar bem?
  • Não tenho nenhuma dificuldade para falar ou escrever.
  • Estou começando a ter alguma dificuldade em encontrar as palavras certas e levo mais tempo para completar meu raciocínio.
  • Está cada vez mais difícil encontrar as palavras certas e tenho tido dificuldade para nomear objetos e noto que tenho menos vocabulário.
  • Está muito difícil me comunicar, tenho dificuldade com as palavras, de entender o que me dizem e não sei bem ler ou escrever.
  • Simplesmente não consigo me comunicar, não falo quase nada, não escrevo e não entendo muito bem o que me dizem.
Como está seu humor?
  • Normal, não noto nenhuma mudança no meu humor, interesse ou motivação.
  • Por vezes fico triste, nervoso, ansioso ou deprimido, mas sem grandes preocupações na vida.
  • Fico triste, nervoso ou ansioso todos os dias e isso tem se tornado cada vez mais frequente.
  • Todos os dias sinto-me triste, nervoso, ansioso ou deprimido e não tenho qualquer interesse ou motivação para realizar qualquer tarefa.
  • A tristeza, depressão, ansiedade e o nervosismo são meus companheiros diários e perdi totalmente meu interesse pelas coisas e já não tenho motivação para nada.
Você consegue se concentrar e prestar atenção?
  • Tenho uma atenção perfeita, boa concentração e ótima interação com tudo o que está à minha volta.
  • Estou começando a ter dificuldade em prestar atenção em alguma coisa e fico sonolento durante o dia.
  • Tenho alguma dificuldade de atenção e pouca concentração e por isso posso ficar olhando fixamente para um ponto ou de olhos fechados durante algum tempo, mesmo sem dormir.
  • Passo boa parte do dia dormindo, não presto atenção em nada e quando converso digo coisas sem lógica ou que não têm relação ao tema da conversa.
  • Não consigo prestar atenção a nada e sou completamente desconcentrado.

Em que que idade o Alzheimer precoce aparece?

Normalmente o Alzheimer precoce aparece entre os 30 e 50 anos, no entanto não existe uma idade exata para que se inicie, pois existem relatos de aparecimento tanto aos 27 quanto aos 51 anos, por isso é recomendado a pessoas que possuem histórico familiar, estar atento aos sintomas, pois muitas vezes podem ser negligenciados e confundidos com estresse e distração.

No caso do Alzheimer precoce os sintomas da doença instalam-se de forma muito mais rápida que nos idosos e a incapacidade de cuidar de si próprio surge muito cedo. Saiba reconhecer os sintomas de Alzheimer no idoso.

Desta forma, caso exista a menor suspeita de possuir essa doença, é indicado que um neurologista seja procurado para se obter o diagnóstico correto e iniciar o tratamento adequado o mais cedo possível, pois assim, a doença apesar de não ter cura, pode ter sua evolução retardada. 

Como confirmar o diagnóstico 

O diagnóstico do Alzheimer precoce é feito através da observação dos sinais e sintomas da doença, exclusão de outros tipos de demência, testes de memória e cognição, relato da pessoa e familiares e da comprovação de comprometimento cerebral através de exames de  imagem, como ressonância magnética (RNM) ou tomografia computadorizada (TC) do crânio.  

Como é feito o tratamento 

Atualmente não existe um tratamento para o Alzheimer precoce, o neurologista que acompanha o caso poderá receitar remédios para reduzir os impactos dos sintomas na vida da pessoa, como o donepezil, rivastigmina, galantamina ou memantine, que ajudam a manter as funções cognitivas mentais.

Além de medicamentos para melhorar a qualidade do sono e humor por exemplo, e indicação para que a psicoterapia seja iniciada. Ainda pode ser recomendado a mudança na alimentação, dando preferência a alimentos naturais e que inclua atividades físicas na rotina diária.

Bibliografia >

  • LANCET NEUROL. The diagnosis of young-onset dementia. 2010. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2947856/>. Acesso em 18 Set 2020
  • U.S. NATIONAL LIBRARY OF MEDICINE. Alzheimer's Disease. Disponível em: <https://medlineplus.gov/alzheimersdisease.html>. Acesso em 18 Set 2020
  • NATIONAL INSTITUTES OF HEALTH. What Are the Signs of Alzheimer's Disease?. Disponível em: <https://www.nia.nih.gov/health/what-are-signs-alzheimers-disease>. Acesso em 18 Set 2020
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.


Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem