Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

6 chás diuréticos para inchaço e retenção de líquidos

Todos os tipos de chá são ligeiramente diuréticos, já que aumentam a ingestão de água e, consequentemente, a produção de urina. No entanto, existem algumas plantas que parecem ter uma ação diurética mais forte, que é capaz de estimular o corpo a eliminar a retenção de líquidos, ajudando a desinchar.

Os chás diuréticos também são uma ótima opção natural para completar o tratamento de infecções urinárias, já que promovem a eliminação de urina, ajudando a limpar o trato urinário. Porém, o ideal é que sempre se faça uso dos chás com supervisão do médico que está orientando o tratamento, para garantir que nenhuma planta afeta o efeito dos remédios receitados, como antibióticos.

1. Chá de salsinha

6 chás diuréticos para inchaço e retenção de líquidos

O chá de salsinha é um dos remédios caseiros mais populares para ajudar na retenção de líquidos e, de fato, estudos feitos com esta planta em animais demonstraram que é capaz de aumentar a quantidade de urina produzida [1].

Além disso, a salsinha contém flavonoides que, segundo outro estudo [2], são compostos capazes de se ligar aos receptores de adenosina A1, diminuindo a ação dessa substância e aumentando a produção de urina.

Ingredientes

  • 1 ramo ou 15 g de salsinha fresca com talos;
  • 1/4 de limão;
  • 250 ml de água fervente.

Modo de preparo

Lavar e picar a salsinha. Depois, juntar a salsinha na água e deixar repousar por 5 a 10 minutos. Por fim, coar, deixar amornar e beber várias vezes ao dia.

Idealmente, o chá de salsinha não deve ser usado por grávidas, nem por pessoas que estejam fazendo tratamento com anticoagulantes ou outros diuréticos.

2. Chá de dente-de-leão

6 chás diuréticos para inchaço e retenção de líquidos

O dente-de-leão é outra planta popular para aumentar a produção de urina e eliminar a retenção de líquidos. Esta planta funciona como diurético natural porque é rica em potássio, um tipo de mineral que atua nos rins aumentando a produção de urina.

Ingredientes

Modo de preparo

Adicionar a água numa xícara e depois colocar as raízes e deixar repousar por 10 minutos. Coar e beber 2 a 3 vezes por dia.

O uso desta planta não deve ser feito durante a gravidez, nem por pessoas com problemas nos ductos biliares ou oclusão intestinal.

3. Chá de cavalinha

6 chás diuréticos para inchaço e retenção de líquidos

O chá de cavalinha é outro diurético natural muito utilizado na medicina tradicional e, embora existam poucos estudos recentes feitos com esta planta, uma revisão feita em 2017 [3], refere que o efeito diurético da cavalinha pode ser comparado com o do remédio hidroclorotiazida, que é um diurético produzido em laboratório.

Ingredientes

  • 1 colher (de chá) de cavalinha;
  • 250 ml de água fervente.

Modo de preparo

Colocar a cavalinha na xícara com água fervente e deixar repousar entre 5 a 10 minutos. Depois coar, deixar amornar e beber 3 vezes por dia.

Ainda que existam dúvidas sobre a possibilidade de a cavalinha aumentar a eliminação de minerais pela urina, é recomendado fazer uso desta planta apenas por 7 dias seguidos, para evitar o desiquilíbrio de minerais. Além disso, este chá não deve ser usado por grávidas ou mulheres a amamentar.

4. Chá de hibisco

6 chás diuréticos para inchaço e retenção de líquidos

O consumo de chá de hibisco parece aumentar significativamente a quantidade de urina produzida e, segundo um estudo feito em ratos [4], tem um efeito semelhante a alguns diuréticos sintéticos produzidos em laboratório, como a furosemida e a hidroclorotiazida.

Além disso, outra investigação [5], também feita em ratos, concluiu que a composição em antocianinas, flavonoides e ácido clorogênico do hibisco parece regular a atividade da aldosterona, um hormônio que controla a produção de urina.

Ingredientes

  • 2 colheres de sopa cheias de flores hibisco seco;
  • 1 litro de água em início de fervura.

Modo de preparo

Adicionar o hibisco na água quente e deixar repousar por 10 minutos, devidamente tampado. Coar e beber ao longo do dia.

Embora seja bastante segura, esta planta deve ser evitada durante a gravidez e lactação.

5. Chá de funcho

6 chás diuréticos para inchaço e retenção de líquidos

O funcho é uma planta tradicionalmente utilizada para tratar problemas da bexiga e até pressão alta, devido ao seu efeito diurético, que aumenta a produção de urina e elimina o excesso de líquidos no organismo.

Ingredientes

  • 1 colher (de chá) de sementes de funcho;
  • 1 xícara de água fervente.

Modo de preparo

Juntar as sementes à água fervente numa xícara e deixar repousar por 5 a 10 minutos. Depois, coar e beber até 3 vezes por dia.

Esta é uma planta bastante segura que pode ser usada em adultos e crianças. No caso das grávidas e lactantes, devido à falta de estudos, é recomendado utilizar o chá apenas sob orientação do obstetra.

6. Chá verde

6 chás diuréticos para inchaço e retenção de líquidos

O chá verde é rico em cafeína, que é uma substância com poder diurético natural. Embora uma xícara de chá possa não conter a quantidade de cafeína necessária, tomar até 3 xícaras por dia pode aumentar a produção de urina e ajudar a eliminar o excesso de líquidos acumulados no organismo.

Ingredientes

  • 1 colher (de sopa) de folhas de chá verde;
  • 1 xícara de água fervente.

Modo de preparo

Colocar as folhas de chá verde numa xícara e depois colocar a água, deixando repousar entre 3 e 5 minutos. Depois coar, deixar amornar e beber até 3 vezes por dia. Dependendo do tempo que o chá fica repousando, maior será a quantidade de cafeína, no entanto, maior será o sabor amargo. Dessa forma, é recomendado deixar repousar por 3 minutos e depois ir provando a cada 30 segundos, até achar o ponto com melhor sabor.

Por conter cafeína, este chá deve ser evitado em crianças, grávidas e mulheres a amamentar. Além disso, também deve ser evitado por pessoas com dificuldade para pegar no sono, principalmente ao final do dia ou à noite.

Cuidados ao utilizar chás diuréticos

O uso de qualquer tipo de chá deve ser sempre orientado por um fitoterapeuta ou um profissional de saúde com conhecimento na área das plantas medicinais.

Idealmente, os chá diuréticos não devem ser usados por pessoas que já estejam fazendo uso de diuréticos sintéticos, como a furosemida, hidroclorotiazida ou espironolactona. Além disso, também devem ser evitados por pacientes com problemas renais, doenças cardíacas ou pressão arterial baixa.

No caso dos chás diuréticos é também muito importante evitar seu uso por mais de 7 dias, principalmente sem orientação de um profissional, já que alguns podem aumentar a eliminação de minerais importantes na urina, podendo causar desiquilíbrios no organismo.

Bibliografia >

  • GONZÁLEZ-CASTEJÓN, Marta et al.. Diverse biological activities of dandelion. Nutrition Reviews. Vol.70, n.9. 534-547, 2012
  • FATIMA, Tabasum et al.. Dandelion: Phytochemistry and clinical potential. Journal of Medicinal Plants Studies. Vol.6, n.2. 198-202, 2018
  • KREYDIYYEH, S. I.; USTA, J.. Diuretic effect and mechanism of action of parsley. Journal of Ethnopharmacology. Vol.79, n.3. 353-357, 2002
  • YULIANA, Nancy D. et al.. Adenosine A1 receptor binding activity of methoxy flavonoids from Orthosiphon stamineus. Planta Medica. Vol.75. 132-136, 2009
  • AL-YOUSOFY, Fayed et al.. Parsley! Mechanism as antiurolithiasis remedy. International Journal of Medical and Health Research. Vol.3, n.7. 35-40, 2017
  • EUROPEAN MEDICINES AGENCY. Assessment report on Equisetum arvense L., herba. 2016. Disponível em: <https://www.ema.europa.eu/en/documents/herbal-report/final-assessment-report-equisetum-arvense-l-herba_en.pdf>. Acesso em 08 Abr 2020
  • AL-SNAFI, Ali E.. The pharmacology of Equisetum arvense- A review. IOSR Journal Of Pharmacy. Vol.7, n.2. 31-42, 2017
  • MEA, A. et al. Diuretic Activity of Hibiscus sabdariffa L. in Wistar Rats. International Journal of Pharmacology, Phytochemistry and Ethnomedicine. Vol.9. 10-17, 2018
  • JIMÉNEZ-FERRER, Enrique et al.. Diuretic Effect of Compounds from Hibiscus sabdariffa by Modulation of the Aldosterone Activity. Planta Medica. Vol.78. 1893-1898, 2012
  • AKBAR, Shahid. Fennel (Foeniculum vulgare Mill.): A Common Spice with Unique Medicinal Properties. Remedy Publications LLC. Vol.1, n.1. 2018
  • KOOTI, Wesam et al.. Therapeutic and pharmacological potential of Foeniculum vulgare Mill: a review. Journal of HerbMed Pharmacology. Vol.4, n.1. 1-9, 2015
  • MARX, B et al.. Mechanisms of caffeine-induced diuresis. Medecine sciences. Vol.32, n.5. 485-490, 2016
  • MAUGHAN, R. J.; GRIFFIN, J.. Caffeine ingestion and fluid balance: a review. Journal of Human Nutrition and Dietetics. Vol.16, n.6. 411-420, 2003
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem