Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.

Colchicina (Colchis): o que é, para que serve e como usar

A colchicina é um medicamento anti-inflamatório muito utilizado para tratar e prevenir crises de gota aguda. Além disso, também pode ser usada para tratar casos de gota crônica, febre familiar do mediterrâneo ou quando se faz uso de medicamentos que diminuam o ácido úrico.

Este remédio pode ser comprado em farmácias, em genérico ou com o nome comercial Colchis, em embalagens de 20 ou 30 comprimidos, mediante apresentação de receita médica.

Colchicina (Colchis): o que é, para que serve e como usar

Para que serve

A colchicina é um medicamento usado no tratamento das crises agudas de gota e na prevenção das crises agudas em pessoas com artrite gotosa crônica.

Saiba o que é a gota, quais as causas e sintomas que podem surgir.

Além disso, a terapia com este medicamento pode ser indicada na doença de Peyronie, Febre Familiar do Mediterrâneo e em casos de escleroderma, poliartrite associada à sarcoidose e psoríase.

Como usar

A forma de uso da colchicina varia de acordo com a sua indicação, no entanto, em qualquer caso é importante evitar a ingestão da colchicina junto com suco de toranja, pois essa fruta pode impedir a eliminação do remédio, aumentando o risco de complicações e efeitos colaterais.

1. Antigotoso 

Para a prevenção de crises de gota, a dose recomendada é de 1 comprimido de 0,5 mg, uma a três vezes ao dia, por via oral. Os pacientes com gota submetidos à cirurgia, devem tomar 1 comprimido três vezes ao dia, a cada 8 horas, por via oral, 3 dias antes e 3 dias depois da intervenção cirúrgica.

Para o alívio do crise aguda de gota, a dose inicial deve ser de 0,5 mg a 1,5 mg seguido de 1 comprimido em intervalos de 1 hora, ou de 2 horas, até que ocorra o alívio da dor ou apareçam náuseas, vômitos ou diarreia. A dose nunca deve ser aumentada sem orientação do médico, mesmo que os sintomas não melhorem.

Os pacientes crônicos podem continuar o tratamento com uma dose de manutenção de 2 comprimidos ao dia, a cada 12 horas, por até 3 meses, a critério do médico.

A dose máxima alcançada não deve ultrapassar os 7 mg diários.

2. Doença de Peyronie

O tratamento deve ser iniciado com 0,5 mg a 1,0 mg ao dia, administrada em uma a duas doses, podendo ser aumentada até 2 mg por dia, administrada em duas a três doses.

Colchicina para tratamento da COVID-19

De acordo com um relatório preliminar liberado pelo Montreal Heart Institute [1], a colchicina apresentou resultados favoráveis no tratamento de pacientes com COVID-19. De acordo com os investigadores, este medicamento parece reduzir a taxa de internamento e mortalidade, quando o tratamento é iniciado logo após o diagnóstico.

Porém, ainda é necessário que todos os resultados deste estudo sejam conhecidos e analisados pela comunidade científica, assim como é recomendada a realização de novas investigações com o medicamento, especialmente por se tratar de um remédio que pode causar graves efeitos colaterais quando não utilizado na dose correta e sob supervisão de um médico.

Quem não deve usar

Este remédio não deve ser usado em pessoas com alergia a qualquer um dos componentes presentes na fórmula, pessoas a fazer diálise ou pessoas com doenças gastrointestinais, hematológicas, hepáticas, renais ou cardíacas graves.

Além disso, também não deve ser usado em crianças, grávidas ou mulheres que estejam amamentando.

Possíveis efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns que podem ocorrer com o uso deste medicamento são vômitos, náuseas, fadiga, dor de cabeça, gota, cólicas, dor abdominal e dor na laringe e na faringe. Outro efeito colateral muito importante é a diarreia que, caso surja, deve ser imediatamente informada ao médico, pois indica que o tratamento deve ser interrompido.

Além disso, embora seja mais raro, também pode ocorrer queda de cabelo, depressão medular, dermatite, alterações na coagulação e no fígado, reações alérgicas, aumento da creatina fosfoquinase, intolerância à lactose, dor muscular, redução do número de espermatozoides, púrpura, destruição das células musculares e doença neuromuscular tóxica.

Esta informação foi útil?

Sua opinião é importante! Escreva aqui como podemos melhorar o nosso texto:

Ficou alguma dúvida? Clique aqui para ser respondido.
Verifique o email de confirmação que lhe enviamos.

Bibliografia

  • APSEN. Colchis. 2015. Disponível em: <http://www.saudedireta.com.br/catinc/drugs/bulas/colchis.pdf>. Acesso em 07 Mai 2020
  • MONTREAL HEART INSTITUTE. Colchicine reduces the risk of COVID-19-related complications. 2021. Disponível em: <https://app.cyberimpact.com/newsletter-view-online?ct=guhsMu_jogsWK5zuKuZWMiFdWXxrNhn6Nkcjb1fm-HUAuS81ZbwD0N6bKX9bJ23ALFDAfrG83CWBnSzT41zxRA~~>. Acesso em 26 Jan 2021
Mais sobre este assunto:

Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem