Mamilo invertido: o que é, causas e o que fazer

O mamilo invertido, também chamado de mamilo retraído, é uma situação em que os mamilos estão voltados para dentro e não para fora, o que é considerado o normal, podendo acontecer tanto em homens quanto em mulheres. Essa situação pode estar presente desde o nascimento ou ser consequência de condições médicas, como mastite, abscesso sob a aréola e câncer de mama, por exemplo.

É importante que o mastologista seja consultado para que sejam feitos exames e testes de estimulação para verificar o grau de inversão e a possível causa relacionada e, assim, ser avaliada a necessidade de realizar tratamento específico.

No caso das mulheres, a presença de mamilo invertido na maioria dos casos não interfere na amamentação, isso porque o bebê mama na aréola. No entanto, a inversão do mamilo pode dificultar a pega e, por isso, podem ser adotadas algumas técnicas que ajudem a estimular o mamilo para tornar a amamentação mais confortável.

Mamilo invertido: o que é, causas e o que fazer

Possíveis causas

Os mamilos invertidos podem estar presentes desde o nascimento ou ser consequência de situações, como por exemplo:

  • Mastite;
  • Presença de abscesso sob a aréola;
  • Dilatação anormal de um dos ductos mamários;
  • Após cirurgia nas mamas;
  • Câncer de mama.

É importante que o mastologista seja consultado caso seja verificado que o mamilo invertido surgiu ao longo do tempo, pois assim são realizados exames que identifiquem a causa da inversão e, assim, possa ser iniciado o melhor tratamento para a causa.

Como identificar

Para confirmar o mamilo invertido, o mastologista pode realizar alguns testes de estimulação, pois assim é possível verificar o grau de inversão, o que também pode estar relacionado com algumas condições clínicas. Os graus de inversão do mamilo são:

  • Grau 1, em que é possível haver a saída do mamilo e manter a sua projeção por algum tempo;
  • Grau 2, em que apesar de ser possível projetar o mamilo, esta não dura muito tempo, de forma que o mamilo consegue voltar a ficar retraído mais rapidamente;
  • Grau 3, em que o mamilo não consegue ser projetado mesmo que seja realizada estimulação, podendo estar relacionado com fibrose e atrofia da região terminal dos ductos mamários.

Além disso, o médico pode indicar a realização de alguns exames de imagem para avaliar o tecido mamário, como a ultrassonografia das mamas e a mamografia, pois assim é possível verificar a presença de cistos, tumores, inflamação e/ ou fibrose do tecido, dilatação de ductos ou abscessos que podem estar relacionados com as alterações do mamilo.

O que fazer

Na maioria dos casos não é necessário iniciar qualquer tratamento para mamilo invertido, no entanto alguns procedimentos estéticos podem ser indicados pelo médico para que a pessoa sinta-se mais confortável, no entanto esses procedimentos ainda não são padronizados.

Porém, nos casos em que foi verificado que a inversão do mamilo está relacionada com condições médicas, o médico pode indicar a realização de tratamento específico de acordo com a causa.

Nos casos da inversão de grau 3, em que é os mamilos não saem, o médico pode recomendar a realização de cirurgia, principalmente no caso das mulheres que desejam engravidar e realizar a amamentação. Dessa forma, a cirurgia é capaz de promover a saída do mamilo ao mesmo tempo que mantém a sensibilidade dos seios.

Como amamentar com mamilo invertido

A amamentação é possível mesmo que a mulher tenha os mamilos invertidos, isso porque para que o bebê mame corretamente, é necessário que abocanhe a aréola inteira e não apenas o mamilo. Além disso, normalmente, o mamilo fica mais saliente nas últimas semanas de gravidez ou logo após o parto, o que facilita a amamentação, no entanto essa situação pode não estar presente em todos os casos.

Nos casos de inversão de grau 1 e 2, por exemplo, o movimento de sucção do bebê pode também estimular o mamilo e, assim, tornar o processo de amamentação mais fácil. Algumas dicas para facilitar a amamentação são:

  • Realizar a técnica de Hoffman, em que a mulher deve colocar os polegares nos dois lados do mamilo e pressionar fazendo um movimento de separação, ajudando na saída do mamilo;
  • Rodar o mamilo com o objetivo de fazer com que o mamilo fique mais saliente. Para facilitar o processo, pode ser interessante aplicar um pouquinho de gelo nos mamilos, porém não se deve exagerar na aplicação antes de dar de mamar porque o frio pode provocar a contração dos ductos mamários;
  • Retirar um pouco de leite, isso porque se as mamas estiverem muito cheias, o mamilo pode ficar menos saliente. Assim, pode-se fazer a retirada manual ou com auxílio de uma bomba de um pouco de leite antes de colocar o bebê para mamar;
  • Usar uma seringa para tornar o mamilo mais saliente antes de amamentar. Para isso, deve-se recortar a extremidade da seringa, retirar o êmbolo da seringa e colocar pela parte cortada e, em seguida, ajustar a seringa ao mamilo e puxar delicadamente o êmbolo.

Se a mãe, mesmo com estas estratégias, continuar com dificuldades para amamentar, deve consultar o pediatra para que amamentação se mantenha, no mínimo, até aos 6 meses de idade do bebê. Além disso, pode-se experimentar algumas posições para amamentar para que fique mais confortável para a mulher e para o bebê e para facilitar a pega do bebê. Confira algumas posições para amamentar.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • RAO, DEEPTI N.; WINTERS, RYAN. Inverted Nipple. 2021. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK563190/>. Acesso em 29 Set 2021
  • OLIVAS-MENAYO, Jesus; BERNIZ, Carlos. Inverted Nipple Correction Techniques: An Algorithm Based on Scientific Evidence, Patients’ Expectations and Potential Complications. Aesthetic Plastic Surgery. Vol 45. 472-480, 2021
Mais sobre este assunto: