Leite materno: composição, como armazenar (e outras dúvidas)

O leite materno normalmente é o primeiro alimento do bebê e, por isso, é uma substância bastante nutritiva que ajuda a garantir seu crescimento e desenvolvimento saudável, sendo rico em gordura, carboidratos, vários tipos de vitaminas e anti-corpos.

No entanto, amamentar é um momento delicado na vida da mãe e do bebê, que pode acabar trazendo diversos medos, como o receio de o leite secar, ser pouco ou de ser fraco para o bebê. Para tirar estas dúvidas, separamos e respondemos as dúvidas mais comuns sobre o leite materno.

Saiba mais sobre o leite materno e como amamentar corretamente no nosso guia completo de amamentação para iniciantes.

Leite materno: composição, como armazenar (e outras dúvidas)

1. Qual a composição do leite materno?

O leite materno é bastante rico em gordura, proteínas e carboidratos, pois são alguns dos nutrientes mais importantes para o crescimento e desenvolvimento do bebê. No entanto, também possui uma boa quantidade de proteínas e anti-corpos, que ajudam a manter a saúde e fortalecer o sistema imune.

Ao longo do crescimento do bebê, o leite materno vai mudando, passando por 3 fases principais:

  • Colostro: é o primeiro leite que é bastante líquido e amarelado, sendo mais rico em proteínas;
  • Leite de transição: surge depois de 1 semana e é mais rico em gorduras e carboidratos que o colostro, sendo por isso mais espesso;
  • Leite maduro: aparece depois de aproximadamente 21 dias e contém gorduras, carboidratos, várias vitamina, proteínas e anti-corpos, sendo um alimento mais completo.

Devido à presença de anti-corpos, o leite materno funciona como uma vacina natural, fortalecendo o sistema imune do bebê contra vários tipos de infecções. Essa é uma das principais causas pelas quais o leite materno deve ser preferido ao leite adaptado de farmácia, por exemplo.

A seguir apresentamos a tabela de composição do leite materno maduro:

ComponentesQuantidade (100 ml)
Energia66 calorias
Água87,5 g
Proteínas1,17 g
Gorduras3,4 g
Carboidratos7,5 g
Vitamina A68 mcg
Vitamina D0,1 mcg
Vitamina E0,35 mg
Vitamina B10,08 mg
Vitamina B20,03 mg
Vitamina B30,2 mg
Vitamina B60,01 mg
Vitamina B120,01 mcg
Ácido Fólico6 mcg
Vitamina C4 mg
Cálcio32 mg
Fósforo19 mg
Magnésio4 mg
Ferro0,1 mg
Zinco0,1 mg
Potássio69 mg

2. Existe leite materno fraco para o bebê?

Não, o leite materno é feito com todos os nutrientes necessários para o crescimento e desenvolvimento do bebê em cada fase da sua vida.

O tamanho da mama não influencia na quantidade de leite produzido, sendo que seios grandes ou pequenos têm a mesma capacidade de alimentar corretamente o bebê. O principal cuidado para ter uma boa produção de leite é alimentar-se bem, beber bastante água e dar de mamar sempre que o bebê quiser.

3. O leite materno tem lactose?

O leite materno contém lactose, pois é o principal carboidrato para o desenvolvimento do cérebro do bebê. No entanto, mulheres que consomem muitos lacticínios ou leite podem apresentar uma composição superior de lactose no leite que produzem. Embora a composição do leite varie ao longo do tempo, a quantidade de lactose mantém-se semelhante desde o início até ao final da fase de amamentação.

Embora a lactose cause várias reações de intolerância em crianças e adultos, geralmente não afeta o bebê, pois, quando nasce, o bebê está produzindo uma elevada quantidade de lactase, que é a enzima responsável por degradar a lactose. Assim, é bastante raro que o bebê tenha algum tipo de alergia ao leite da mãe. Veja quando o bebê pode ter alergia ao leite materno e o que fazer.

4. Como aumentar a produção de leite?

A melhor forma de garantir uma produção de leite suficiente é fazendo uma alimentação equilibrada e beber 3 a 4 litros de líquidos por dia. Um bom exemplo de alimentação nesta fase deve incluir o consumo de muitas frutas, vegetais e cereais integrais.

Além disso, o movimento de sucção do bebê na mama também estimula a produção de leite e, por isso, deve-se dar de mamar o maior número de vezes por dia, o que pode ser de 10 vezes ou mais. Confira 5 dicas eficazes para aumentar a produção de leite materno.

5. Como armazenar o leite?

O leite materno pode ser armazenado na geladeira ou no freezer, mas deve ser colocado em recipientes próprios que são vendidos na farmácia ou em um recipiente de vidro esterilizado com tampa de plástico.

O leite pode ser armazenado a temperatura ambiente por 4 a 6 horas, na geladeira por até 3 dias, desde que não seja colocado na porta, ou no freezer por até 6 meses.

6. Como descongelar o leite materno?

Para descongelar o leite materno que foi guardado no freezer deve-se preferir uma descongelação lenta, por isso, o ideal é passar o leite congelado para a geladeira e deixar descongelar por completo, o que geralmente demora cerca de 12 horas.

Depois é só retirar da geladeira e deixar amornar à temperatura ambiente antes de dar para o bebê. Se for necessário, o leite também pode ser amornado passando água morna pelo exterior do recipiente. Não é recomendado esquentar o leite diretamente na panela ou no micro-ondas pois pode destruir as proteínas, além de não aquecer o leite uniformemente, o que pode acabar causando queimaduras na boca do bebê.

Idealmente, deve-se descongelar apenas a quantidade necessária de leite, pois o leite não pode voltar a ser congelado. Porém, caso se descongele leite em excesso, pode-se colocar o que sobrou na geladeira e usar dentro de 24 horas, no máximo.

7. Como tirar leite com a bombinha?

Retirar o leite com uma bombinha pode ser um processo um pouco demorado, especialmente das primeiras vezes. Antes de usar a bomba deve-se lavar as mãos e procurar um local calmo e confortável. Depois, deve-se colocar a abertura da bombinha sobre a mama, garantindo que o mamilo fica centrado.

De início deve-se começar por pressionar a bomba lentamente, com movimento suaves, como aconteceria caso fosse o bebê mamando e, depois, ir aumentando a intensidade, de acordo com o nível de conforto.

8. É possível doar leite materno?

O leite materno pode ser doado para o Banco de Leite Humano, uma organização que entrega o leite para UTI's de hospitais onde estejam internado recém-nascidos que não podem ser amamentados por suas mães.

Além disso, esse leite pode ainda ser doado para mães que não tenham leite suficiente e que não querem dar mamadeira com leite adaptado de farmácia. Entenda como funciona a doação de leite materno.

9. Quando parar de dar leite materno?

Idealmente, a alimentação exclusiva com leite materno deve ser feita até aos 6 meses de vida, sem que seja necessário qualquer outro tipo de alimento ou fórmula.

Após esse período, a OMS recomenda manter o leite materno até os 2 anos, em menor quantidade e junto com outros alimentos. A introdução de novos alimentos deve começar pelos alimentos de sabor mais neutro e apresentados na forma de mingau, podendo usar-se batata-doce, cenoura, arroz e banana. Veja melhor como fazer a introdução dos alimentos no bebê.

Como algumas mulheres podem ter problemas para amamentar ou diminuição da quantidade de leite, em alguns casos o pediatra ou o obstetra podem aconselhar completar a amamentação com o uso de uma fórmula infantil.

10. É possível secar o leite?

Em algumas situações o obstetra pode aconselhar a mulher a secar o leite, como quando o bebê tem algum problema que impeça a ingestão do leite materno ou quando a mãe tem alguma doença que possa passar através do leite, como acontece em mulheres com HIV, por exemplo. Confira uma lista de quando a mulher não deve amamentar.

No entanto, em todas as outras situações é muito importante manter a produção de leite, para oferecer o melhor alimento possível ao bebê.

Nos casos em que o médico indica secar o leite, geralmente são receitados remédios, como Bromocriptina ou Lisurida, que vão diminuir gradualmente a quantidade de leite produzida, mas que também podem causar vários efeitos colaterais como vômitos, enjoos, dor de cabeça ou sonolência. Veja que outros medicamentos podem ser usados e também algumas opções naturais para secar o leite.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • CENTERS FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION. Proper Storage and Preparation of Breast Milk. Disponível em: <https://www.cdc.gov/breastfeeding/recommendations/handling_breastmilk.htm>. Acesso em 04 Ago 2020
  • COMITÉ PORTUGUÊS PARA A UNICEF COMISSÃO NACIONAL INICIATIVA HOSPITAIS AMIGOS DOS BEBÉS. Manual de Aleitamento Materno. 2012. Disponível em: <https://unicef.pt/media/1581/6-manual-do-aleitamento-materno.pdf>. Acesso em 16 Jul 2019
  • HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS. Manual de Normas e Rotinas de Aleitamento Materno do HU-UFGD/EBSERH. 2019. Disponível em: <http://www2.ebserh.gov.br/documents/16692/1593065/Manual+de+Normas+e+Rotinas+de+Aleitamento+Materno.pdf/8a288b77-0879-4dc9-855c-5472bdaf861b>. Acesso em 13 Nov 2019
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Saúde da criança: aleitamento materno e alimentação complementar. 2015. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_crianca_aleitamento_materno_cab23.pdf>. Acesso em 13 Nov 2019
  • MEDELA. Como conservar, congelar e descongelar leite materno. Disponível em: <https://www.medela.com.br/amamentacao/jornada-da-mae/conservar-e-descongelar-leite-materno>. Acesso em 12 Fev 2019
  • MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Manual de Normas e Rotinas de Aleitamento Materno. 2017. Disponível em: <http://www2.ebserh.gov.br/documents/16692/1593065/Manual+de+Normas+e+Rotinas+de+Aleitamento+Materno.pdf/8a288b77-0879-4dc9-855c-5472bdaf861b>. Acesso em 21 Out 2019
  • FEDERAÇÃO BRASILEIRA DAS ASSOCIAÇÕES DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA. Inibição da lactação: quando e como fazê-la?. 2018. Disponível em: <https://www.febrasgo.org.br/pt/noticias/item/308-inibicao-da-lactacao-quando-e-como-faze-la>. Acesso em 13 Nov 2019
  • INSTITUTO NACIONAL DE SAÚDE DOUTOR RICARDO JORGE. Composição de Alimentos: Leite humano. Disponível em: <http://portfir.insa.pt/>. Acesso em 05 Ago 2021
  • CENTRO HOSPITALAR PÓVOA DE VARZIM - VILA DO CONDE. Extração e conservação de leite materno. 2019. Disponível em: <http://www.chpvvc.min-saude.pt/wp-content/uploads/sites/34/2019/10/Extracao_e_Conservacao_de_Leite_Materno.pdf>. Acesso em 06 Ago 2021
Mais sobre este assunto: