Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.

Cuspir sangue: o que pode ser e o que fazer

A presença de sangue na saliva ou no catarro pode acontecer devido à infecção ou inflamação das vias aéreas, podendo ser indicativa de bronquite ou bronquiectasia, por exemplo, sendo normalmente acompanhados de outros sintomas como dificuldade para respirar, dor no peito e cansaço. Além disso, cuspir sangue pode também acontecer após uma pancada na boca ou no nariz ou ser consequência da gengivite, que é a inflamação da gengiva.

É importante consultar o clínico geral quando o cuspe com sangue é frequente, não melhora ao longo do tempo e é acompanhado de outros sintomas, pois assim é possível investigar a causa e iniciar o tratamento mais adequado. 

Cuspir sangue: o que pode ser e o que fazer

1. Gengivite

A gengivite é uma das causas mais comuns que levam a pessoa a cuspir sangue, principalmente ao escovar os dentes, isso porque as gengivas ficam mais sensíveis e fragilizadas devido ao excesso de placas bacterianas entre os dentes. Além do sangramento, é comum que na gengivite seja notada dor, mau hálito, vermelhidão e inchaço na gengiva.

O que fazer: Nesse caso, é importante consultar o dentista para que seja feita uma limpeza mais profunda da boca, em que são removidas todas as placas bacterianas existentes e é feita a aplicação de flúor. Além disso, é importante manter a boa higienização bucal, escovando os dentes pelo menos 3 vezes ao dia e fazendo uso do fio dental, dessa forma é possível prevenir a gengivite. Veja mais detalhes do tratamento da gengivite.

2. Uso de anticoagulantes

Os medicamentos anticoagulantes, como a varfarina, rivaroxabano ou heparina, por exemplo, agem impedindo a formação de coágulos de sangue, porque bloqueiam a ação de substâncias que fazem a coagulação. Assim, é normal que as pessoas que tomam estes medicamentos tenham hemorragias com mais facilidade ou tenham mais dificuldade em estancar estas hemorragias, podendo cuspir sangue.

O que fazer: É importante informar o médico sobre qualquer efeito colateral que possa ter surgido após iniciar o uso do medicamento, incluindo o cuspe com sangue. Assim, é possível que o médico avalie a suspensão ou troca do medicamento.

3. Sangramento nasal

Em alguns casos, quando ocorre sangramento pelo nariz, o sangue pode também sair pela boca, principalmente se a pessoa inclinar a cabeça para trás na tentativa de fazer o sangramento parar. Algumas das causas que provocam sangramento nasal podem ser lesões no nariz, pressão arterial alta, presença de um corpo estranho no nariz, plaquetas baixas, desvio do septo nasal ou sinusite, por exemplo. Conheça mais sobre as causas de sangramento nasal.

O que fazer: Para parar o sangramento do nariz, é recomendado segurar o nariz, no entanto outras medidas podem ser recomendadas pelo médico caso o sangramento dependendo da causa, como uso de remédios, sprays nasais ou remoção do corpo estranho, por exemplo.

Veja com mais detalhes o que fazer para parar o sangramento do nariz:

4. Bronquite

A bronquite caracteriza-se por uma inflamação dos brônquios que pode ter como sintomas tosse, falta de ar, catarro que pode ter sangue, ruídos ao respirar, lábios e pontas dos dedos arroxeados ou inchaço das pernas. Devido à frequência da tosse, é provável que a garganta fique mais ressecada, o que pode causar o cuspe com sangue.

O que fazer: Nesse caso, é importante consultar o clínico geral ou pneumologista para que seja identificado o tipo de bronquite e, assim possa ser indicado o tratamento mais adequado, que pode envolver o uso de medicamentos analgésicos, expectorantes, antibióticos, broncodilatadores ou corticoides. Saiba mais sobre o tratamento da bronquite.

5. Bronquiectasia

A bronquiectasia é uma doença pulmonar que provoca sintomas como tosse com ou sem sangue, falta de ar, mal estar, dor no peito, mau hálito e cansaço. Essa doença acontece devido à dilatação permanente dos brônquios e bronquíolos, que pode ser causada por infecções bacterianas recorrentes ou pela obstrução dos brônquios por corpos estranhos, por exemplo, ou defeitos genéticos, como na fibrose cística ou síndrome dos cílios imóveis.

O que fazer: A bronquiectasia não tem cura e o tratamento consiste em melhorar os sintomas e impedir a progressão da doença, podendo ser indicado pelo médico o uso de antibióticos, mucolíticos e expectorantes para facilitar a liberação do muco ou broncodilatadores para facilitar a respiração.

6. Tuberculose

A tuberculose é uma doença infecciosa causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis, também conhecido como bacilo de Koch, que atinge os pulmões, onde se multiplica e leva o desenvolvimento de alguns sintomas, como dor e dificuldade para respirar, suor frio, febre baixa e tosse com sangue, sendo esse o principal sintoma indicativo de tuberculose.

O que fazer: Na presença de tosse com sangue, é importante que a pessoa seja encaminhada às urgências, pois assim é possível que sejam feitos exames que ajudem a concluir o diagnóstico e, assim, ser iniciado o tratamento mais adequado.

O tratamento para tuberculose deve ser orientado pelo médico e envolve o uso de antibióticos com o objetivo de eliminar a bactéria e que devem ser usados conforme recomendação do médico, mesmo que não existam mais sinais ou sintomas aparentes de infecção, pois assim é possível aumentar as chances de cura.

Conheça mais sobre a tuberculose no vídeo a seguir:

7. DPOC

A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é uma doença respiratória em que há inflamação e lesão dos pulmões, levando ao aparecimento de alguns sintomas como falta de ar, tosse com catarro com ou sem sangue e dificuldades respiratórias. Saiba como identificar a DPOC.

O que fazer: A DPOC não tem cura, mas os sintomas podem ser aliviados com a adoção de um estilo de vida saudável, com o uso de medicamentos como broncodilatadores, corticoides ou expetorantes, por exemplo e com fisioterapia específica para este tipo de doença. 

8. Embolia pulmonar

A embolia ou trombose pulmonar acontece devido ao entupimento de um vaso sanguíneo do pulmão, o que impede a passagem de sangue, causando a morte progressiva da parte afetada, levando à ocorrência de sintomas como dor no peito em pontada ao respirar, falta de ar e tosse com sangue.

O que fazer: O tratamento da embolia pulmonar deve ser feito com urgência, de forma a evitar sequelas, sendo normalmente indicado pelo médico o uso de medicamentos anticoagulantes, que fazem a dissolução do coágulo, analgésicos para aliviar a dor no peito e, se necessário, uma máscara de oxigênio para auxiliar a respiração e oxigenação do sangue.

Esta informação foi útil?
Mais sobre este assunto:

Carregando
...