Desenvolvimento do bebê - 32 semanas de gestação

Semana de gestação: 32 semanas

Equivale ao mês: início do 8º mês

Equivale aos dias: 218 a 224 dias de gestação

Na 32ª semana de gestação, o desenvolvimento do bebê é marcado pela presença de todos os órgãos formados e os ossos mais endurecidos. A audição já está desenvolvida e o bebê consegue perceber a diferença entre os sons. As unhas já cresceram o suficiente para chegar às pontas dos dedos e o cabelo já tem uma cor definida.

É possível que nesta fase da gestação, o bebê já se encontre virado de cabeça para baixo, na posição para o nascimento. No entanto, alguns bebês podem demorar até a 37ª semana para virar.

Durante essa semana, a mulher pode continuar a ter as contrações de Braxton-Hicks ou dor nas costas, e podem surgir hemorróidas, prisão de ventre, azia ou sensação de queimação no estômago.

Desenvolvimento do bebê - 32 semanas de gestação

Desenvolvimento do bebê

Na 32ª semana da gestação, é possível que o bebê já se encontre na posição do nascimento, virado de cabeça para baixo, no entanto, alguns bebês podem demorar até 37ª semana para virar, o que deve ser avaliado pelo obstetra até o final da gravidez. 

O bebê já tem todos os órgãos formados e os ossos continuam a ficar mais duros, exceto os do crânio. Nesta fase, o bebê consegue distinguir entre os sons que escuta e não apenas vibrações e as unhas já cresceram o suficiente para chegar às pontas dos dedos. 

O líquido amniótico engolido pelo bebê passa pelo estômago e intestinos, e os resíduos desta digestão vão sendo pouco a pouco armazenados no intestino formando o mecônio, que será as primeiras fezes do bebê.

Nesta semana da gestação, o bebê já tem uma cor de cabelo definida, o coração bate aproximadamente 150 vezes por minuto e quando está acordado os olhos estão abertos, e movem-se na direção da luz.

Tamanho e peso do bebê

O tamanho do bebê com 32 semanas de gestação é de cerca de 41.6 centímetros medidos da cabeça aos pés e cerca de 29.3 centímetros da cabeça ao bumbum, sendo equivalente ao tamanho de uma abóbora amarela. O peso do bebê nessa semana é cerca de 1,9 Kg.

Mudanças no corpo da mulher

Na 32ª semana de gravidez, a mulher pode ter hemorróida, que pode surgir devido à dilatação dos vasos sanguíneos na região anal, pela compressão desses vasos pelo peso do útero e também pelas alterações hormonais da gravidez que podem deixar o intestino mais lento, causando prisão de ventre que leva a um esforço maior para defecar e à dilatação dos vasos sanguíneos.

Além disso, a mulher pode sentir falta de ar, que ocorre devido ao aumento do útero que pode causar compressão nos pulmões que não conseguem se expandir como antes da gestação, dificultando a respiração. Esse sintoma é considerado normal no final da gravidez e não afeta a oxigenação do bebê pois durante toda a gestação o corpo da mulher sofre adaptações para fornecer o oxigênio para o bebê.

Nesta semana da gestação, os sintomas de contrações de Braxton-Hicks, azia ou sensação de queimação no estômago, dor nas costas ou inchaço das pernas e dos pés, principalmente ao final do dia, podem continuar.

Cuidados durante a 32ª semana

Na 32ª semana da gestação, alguns cuidados são importantes para ajudar a aliviar os desconfortos que podem surgir como: 

  • Hemorróida: fazer banho de assento com água morna, utilizar lenços umedecidos sem perfume ou lavar a região anal após defecar, podem ajudar a aliviar o desconforto da hemorroida. Além disso, não permanecer sentada ou em pé por muito tempo, podem ajudar a diminuir a pressão que a barriga faz sobre o reto e evitar o desenvolvimento da hemorroida. Veja mais dicas de como tratar hemorróida na gravidez
  • Prisão de ventre: comer mais fibras na forma de grãos inteiros, frutas e vegetais frescos e beber pelo menos 8 copos de água por dia para manter o corpo hidratado e praticar exercícios físicos regularmente recomendados pelo médico, para ajudar a melhorar os movimentos do intestino, podem ajudar a aliviar esse desconforto;
  • Contrações de Braxton-Hicks: movimentar o corpo ou fazer exercícios físicos recomendados pelo médico ajudam a aliviar o desconforto das contrações. No entanto se a contração for forte, muito frequente ou acompanhada de outros sintomas como dor nas costas, sangramento vaginal ou corrimento líquido, deve-se procurar ajuda médica imediatamente, pois a mulher pode ter entrado em trabalho de parto. Saiba identificar os sinais de trabalho de parto;
  • Azia ou sensação de queimação no estômago: evitar comer frituras, comidas apimentadas ou muito condimentadas e fazer refeições grandes, e comer em pequenas quantidades em intervalos menores de 2 a 3 horas podem ajudar a aliviar esse desconforto. Veja outras dicas de como aliviar a azia na gravidez;
  • Dor nas costas: não ficar muito tempo de pé, ao sentar deve-se evitar cruzar as pernas e usar uma cinta de gestante para dar suporte à barriga e às costas, ou aplicar compressas quentes sobre as costas podem ajudar a melhorar a dor nas costas. Além disso, a grávida deve evitar fazer esforços excessivos, embora o repouso absoluto também não seja recomendado;
  • Inchaço nas pernas ou nos pés: não ficar muito tempo de pé, e colocar os pés mais altos que o corpo, apoiando os pés quando precisar sentar, ajudam a melhora a circulação sanguínea das pernas e ajuda a evitar o inchaço nas pernas ou nos pés. Além disso, praticar exercício físico regular, como caminhada ou natação, conforme orientado pelo médico, podem ajudar a diminuir esse desconforto. No entanto, se o inchaço não melhorar, começar de forma repentina ou apresentar inchaço nas mãos e no rosto, deve-se procurar ajuda médica imediatamente, pois pode ser sinal de pré-eclâmpsia. Saiba mais sobre pré-eclâmpsia e como é feito o tratamento;
  • Falta de ar: ocorre devido ao aumento do útero que pode causar compressão nos pulmões que não conseguem se expandir como antes da gestação, dificultando a respiração. Esse sintoma é considerado normal no final da gravidez e não afeta a oxigenação do bebê pois durante toda a gestação o corpo da mulher sofre adaptações para fornecer o oxigênio para o bebê. No entanto, se surgir intensa falta de ar, dificuldade para respirar, respiração rápida ou ofegante, dor no peito, lábios ou dedos azulados ou dormência nas mãos ou nos pés, deve-se procurar ajuda médica o mais rápido possível ou o pronto socorro mais próximo.

Durante toda a gestação é importante realizar as consultas pré-natais, seguir as recomendações médicas e tomar o ácido fólico ou suplementos recomendados pelo obstetra. Saiba como é feito o pré-natal.

Além disso, fazer uma alimentação nutritiva e balanceada, incluindo frutas, verduras e legumes frescos, garantem o fornecimento de nutrientes essenciais para o desenvolvimento do bebê e ajudam a controlar o aumento do peso durante a gravidez. É importante também fazer as atividades físicas liberadas pelo médico pois permitem controlar melhor o peso, melhorar a qualidade do sono e fortalecer a musculatura.

Principais exames

A 32ª semana da gestação, é a última semana para para realização do ultrassom morfológico para identificar a fase do desenvolvimento do bebê e avaliar possíveis anormalidades no feto como doenças ou malformações. Saiba como é realizado o ultrassom morfológico.

Além disso, o obstetra deve solicitar exames do último trimestre da gravidez como hemograma completo com análise de plaquetas, para avaliar a coagulação do sangue, e exame de urina. 

Confirme em que mês da gravidez está inserindo aqui os seus dados:

Erro
help
Imagem que indica que o site está carregando

Sua gravidez por trimestre

Para facilitar a sua vida e você não perder tempo procurando, separamos toda a informação que você precisa por cada trimestre de gestação. Em que trimestre você está?

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • VAZQUEZ, J. C. Heartburn in pregnancy. BMJ Clin Evid. 1411. 2015
  • STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Braxton Hicks Contractions. Disponível em: <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29262073/>. Acesso em 01 Jul 2021
  • HO, Simone S.M.; YU, Winnie W.M.; LAO, Terence T.; et al. Effectiveness of maternity support belts in reducing low back pain during pregnancy: a review. Journal of Clinical Nursing. 18. 11; 1523-1532, 2009
  • THE AMERICAN COLLEGE OF OBSTETRICIANS AND GYNECOLOGISTS. Back Pain During Pregnancy. Disponível em: <https://www.acog.org/patient-resources/faqs/pregnancy/back-pain-during-pregnancy>. Acesso em 16 Jul 2021
  • RICHTER, J. E. Review article: the management of heartburn in pregnancy. Aliment Pharmacol Ther. 22. 749–757, 2005
  • STAROSELSKY, A.; et al. Hemorrhoids in pregnancy. Can Fam Physician. 54. 2; 189-90, 2008
  • AVSAR, A. F.; KESKIN, H. L. Haemorrhoids during pregnancy. J Obstet Gynaecol. 30. 3; 231-7, 2010
  • THE AMERICAN COLLEGE OF OBSTETRICIANS AND GYNECOLOGISTS. Preeclampsia and High Blood Pressure During Pregnancy. Disponível em: <https://www.acog.org/womens-health/faqs/preeclampsia-and-high-blood-pressure-during-pregnancy?utm_source=redirect&utm_medium=web&utm_campaign=int>. Acesso em 16 Jul 2021
  • LIDDLE, Sarah D.; PENNICK, Victoria. Interventions for preventing and treating low-back and pelvic pain during pregnancy. Cochrane Database Syst Rev. 2015. 9; CD001139, 2015
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Caderneta da gestante. 2016. Disponível em: <https://www.mds.gov.br/webarquivos/arquivo/crianca_feliz/Treinamento_Multiplicadores_Coordenadores/Caderneta-Gest-Internet(1).pdf>. Acesso em 16 Jul 2021
  • BLOTT, Maggie. A sua gravidez dia a dia. 2.ed. São Paulo: Senac, 2011. 280.
  • NATIONAL HEALTH SERVICE . Your pregnancy week by week: 32 weeks. Disponível em: <https://www.nhs.uk/start4life/pregnancy/week-by-week/3rd-trimester/week-32/#anchor-tabs>. Acesso em 16 Jul 2021
  • KISERUD, T.; et al. The World Health Organization Fetal Growth Charts: A multinational longitudinal study of ultrasound biometric measurements and estimated fetal weight. PLoS Med. 14. 3; e1002284, 2017
  • PARDI, Giorgio; CETIN, Irene. Human fetal growth and organ development: 50 years of discoveries. American Journal of Obstetrics and Gynecology. 194. 1088–1099, 2006
  • KISERUD, T.; et al. The World Health Organization Fetal Growth Charts: A multinational longitudinal study of ultrasound biometric measurements and estimated fetal weight. PLoS Med. 14. 3; e1002284, 2017
Mais sobre este assunto: