Desenvolvimento do bebê - 35 semanas de gestação

Semana de gestação: 35 semanas

Equivale ao mês: final do 8º mês

Equivale aos dias: 239 a 245 dias de gestação

Na 35ª semana de gestação, o bebê já tem o rosto mais liso e a pele menos enrugada devido ao acúmulo da camada de gordura sob a pele, que também já se encontra coberta com uma camada espessa de vernix caseosa, uma substância que protege a pele do bebê do líquido amniótico e de infecções, e que vai atuar como um lubrificante para ajudar o bebê a passar pelo canal vaginal no futuro parto. 

Nesta fase da gestação, o bebê já está completamente formado, e movimenta-se ao ouvir sons, sendo possível a mulher sentir seus movimentos e, algumas vezes, se olhar para a barriga, pode distinguir o contorno de um cotovelo, um pé ou da cabeça. 

Durante essa semana, a  mulher pode continuar a ter os sintomas de sensação de falta de ar, vontade frequente de urinar, contrações de Braxton-Hicks ou sensação de queimação no estômago, e podem surgir dificuldade para dormir e cansaço excessivo.

Desenvolvimento do bebê - 35 semanas de gestação

Desenvolvimento do bebê

Na 35ª semana da gestação, o rosto do bebê fica mais liso, as rugas desaparecem e a pele tem uma cor rosada e não mais avermelhada por causa da gordura que se acumulou sob a pele, e que servirá para controlar a temperatura do corpo depois de nascer. Além disso, a pele do bebê está coberta por uma espessa camada de vérnix caseosa que tem a função de prevenir infecções, hidratar a pele e proteger a pele do líquido amniótico, e atuar como um lubrificante para ajudar o bebê a passar pelo canal vaginal no futuro parto.

O bebê já pode ter bastante cabelo e as unhas das mãos chegam à ponta dos dedos, mas as unhas dos pés ainda não estão totalmente desenvolvidas. Os dois rins já funcionam a 100%, assim como o fígado, que também já consegue exercer as suas funções, processando substâncias que o corpo já não precisa. 

Nesta fase da gestação, a parede do útero fica mais fina, deixando passar mais luz, o que facilita a regulação dos ciclos de atividade durante o dia e a noite e fará com que o bebê feche e pisque os olhos, reagindo à luz intensa. 

Apesar de já não ter muito espaço dentro do útero, o bebê também reage frequentemente aos sons, podendo mexer-se ou saltar quando ouvir um barulho forte, uma música ou a voz da mãe, e, é possível a mulher sentir os movimentos do bebê e se olhar para a barriga, pode algumas vezes conseguir distinguir o contorno de um cotovelo, um pé ou da cabeça. 

Tamanho e peso do bebê

O tamanho do bebê com 35 semanas de gestação é de cerca de 45.5 centímetros medidos da cabeça aos pés e cerca de 32 centímetros da cabeça ao bumbum, sendo equivalente ao tamanho de um melão amarelo. O peso do bebê nessa semana é cerca de 2,5 Kg. 

Mudanças no corpo da mulher

Na 35ª semana de gravidez, a mulher pode ter dificuldade para dormir ou insônia devido ao tamanho da barriga e, por isso, pode sentir-se mais cansada ao longo do dia. 

Além disso, os sintomas de sensação de falta de ar ou vontade frequente de urinar, podem continuar.

Nesta semana da gestação, também é comum a mulher apresentar os sintomas de contrações de Braxton-Hicks, azia ou sensação de queimação no estômago, ou inchaço das pernas e dos pés, principalmente ao final do dia. 

Cuidados durante a 35ª semana

Na 35ª semana da gestação, alguns cuidados são importantes para ajudar a aliviar os desconfortos que podem surgir como: 

  • Dificuldade para dormir ou insônia: dormir com um travesseiro entre as pernas e deitada de lado ou em uma posição que a mulher se sinta confortável ajudam a reduzir o desconforto que dificulta o sono. Além disso, é importante criar uma rotina de sono e um ambiente calmo e confortável para dormir, e evitar dormir durante o dia para não atrapalhar o sono noturno;
  • Cansaço excessivo: descansar durante o dia, se possível, ir para a cama um pouco mais cedo à noite, podem ajudar a diminuir o cansaço e aumentar a disposição;
  • Sensação de falta de ar: deve-se mudar de posição tentando ficar o mais reta possível para dar um pouco mais de espaço para os pulmões se expandirem, e dormir deitada do lado esquerdo ajuda a melhorar a circulação, e podem ajudar a melhorar esse desconforto. No entanto, se surgir intensa falta de ar, dificuldade para respirar, respiração rápida ou ofegante, dor no peito, lábios ou dedos azulados ou dormência nas mãos ou nos pés, deve-se procurar ajuda médica o mais rápido possível ou o pronto socorro mais próximo;
  • Vontade frequente de urinar: não prender a urina, pois deixar a urina retida na bexiga pode aumentar o risco de infecção urinária. Além disso, apesar do aumento da frequência urinária, que ocorre devido ao peso do útero sobre a bexiga, a mulher não deve reduzir a ingestão de água, pois a desidratação aumenta o risco de parto prematuro;
  • Contrações de Braxton-Hicks: beber um copo de água, fazer exercícios de relaxamento ou de respiração profunda, ou tomar um banho morno por até 30 minutos, podem ajudar a aliviar o desconforto das contrações. Além disso, é recomendado movimentar o corpo, mudando de posição, fazendo uma leve caminhada, ou descansar se a mulher estava muito ativa quando as contrações iniciaram. No entanto se a contração for forte, muito frequente ou acompanhada de outros sintomas como dor nas costas, sangramento vaginal ou corrimento líquido, deve-se procurar ajuda médica imediatamente, pois a mulher pode ter entrado em trabalho de parto. Saiba identificar os sinais de trabalho de parto;
  • Azia ou sensação de queimação no estômago: comer em pequenas quantidades em intervalos menores de 2 a 3 horas, evitar comer ou beber até 3 horas antes de deitar, evitar bebidas durante as refeições, colocar a cabeceira da cama mais alta e evitar consumir alimentos que estimulam a azia como frituras, comidas apimentadas ou muito condimentadas, podem ajudar a aliviar esse desconforto. Veja outras dicas de como aliviar a azia na gravidez;
  • Inchaço nas pernas ou nos pés: não ficar muito tempo de pé, e colocar os pés mais altos que o corpo, apoiando os pés quando precisar sentar, ajudam a melhorar a circulação sanguínea das pernas e ajuda a evitar o inchaço nas pernas ou nos pés. Além disso, praticar exercício físico regular, como caminhada ou natação, conforme orientado pelo médico, podem ajudar a diminuir esse desconforto. No entanto, se o inchaço não melhorar, começar de forma repentina ou apresentar inchaço nas mãos e no rosto, deve-se procurar ajuda médica imediatamente, pois pode ser sinal de pré-eclâmpsia. Saiba mais sobre pré-eclâmpsia e como é feito o tratamento;

Durante toda a gestação, é importante seguir as recomendações médicas, realizar as consultas pré-natais, tomar o ácido fólico ou suplementos e fazer atividades físicas recomendados pelo obstetra, pois permitem controlar melhor o peso, melhorar a qualidade do sono e fortalecer a musculatura. 

Além disso, deve-se beber pelo menos 8 copos de água por dia e fazer uma alimentação nutritiva e balanceada, incluindo frutas, verduras e legumes frescos, para garantir o fornecimento de nutrientes essenciais para o desenvolvimento do bebê e ajudar a controlar o aumento do peso durante a gravidez. Veja como deve ser a alimentação na gravidez

Confirme em que mês da gravidez está inserindo aqui os seus dados:

Erro
help
Imagem que indica que o site está carregando

Sua gravidez por trimestre

Para facilitar a sua vida e você não perder tempo procurando, separamos toda a informação que você precisa por cada trimestre de gestação. Em que trimestre você está?

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • HASHMI, Ali M.; et al. Insomnia during pregnancy: Diagnosis and Rational Interventions. Pak J Med Sci. 32. 4; 1030-7, 2016
  • STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Braxton Hicks Contractions. Disponível em: <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29262073/>. Acesso em 17 Ago 2021
  • VITRAL, G. L. N.; et al. Skin thickness as a potential marker of gestational age at birth despite different fetal growth profiles: A feasibility study. PLoS One. 13. 4; 2018
  • KISERUD, T.; et al. The World Health Organization Fetal Growth Charts: A multinational longitudinal study of ultrasound biometric measurements and estimated fetal weight. PLoS Med. 14. 3; e1002284, 2017
  • PARDI, Giorgio; CETIN, Irene. Human fetal growth and organ development: 50 years of discoveries. American Journal of Obstetrics and Gynecology. 194. 1088–1099, 2006
  • OKAWA, H.; et al. Eye movement activity in normal human fetuses between 24 and 39 weeks of gestation. PLoS One. 12. 7; e0178722, 2017
  • VAZQUEZ, J. C. Heartburn in pregnancy. BMJ Clin Evid. 1411. 2015
  • RICHTER, J. E. Review article: the management of heartburn in pregnancy. Aliment Pharmacol Ther. 22. 749–757, 2005
  • THE AMERICAN COLLEGE OF OBSTETRICIANS AND GYNECOLOGISTS. Preeclampsia and High Blood Pressure During Pregnancy. Disponível em: <https://www.acog.org/womens-health/faqs/preeclampsia-and-high-blood-pressure-during-pregnancy?utm_source=redirect&utm_medium=web&utm_campaign=int>. Acesso em 17 Ago 2021
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Caderneta da gestante. 2016. Disponível em: <https://www.mds.gov.br/webarquivos/arquivo/crianca_feliz/Treinamento_Multiplicadores_Coordenadores/Caderneta-Gest-Internet(1).pdf>. Acesso em 17 Ago 2021
  • BLOTT, Maggie. A sua gravidez dia a dia. 2.ed. São Paulo: Senac, 2011. 280.
  • KISERUD, T.; et al. The World Health Organization Fetal Growth Charts: A multinational longitudinal study of ultrasound biometric measurements and estimated fetal weight. PLoS Med. 14. 3; e1002284, 2017
Mais sobre este assunto: