Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Erva-de-são-joão: para que serve e como usar

A erva-de-são-joão, também conhecida como hipericão ou hipérico, é uma planta medicinal muito utilizada na medicina tradicional como remédio caseiro para combater a depressão leve a moderada, assim como os sintomas associados de ansiedade e tensão muscular. Esta planta possui diversos compostos bioativos como hiperforina, hipericina, flavonoides, taninos, entre outros.

O nome científico desta planta é Hypericum perforatum e pode ser comprada na sua forma natural, geralmente a planta seca, em tintura ou em cápsulas, em lojas de produtos naturais, farmácias e alguns supermercados.

Erva-de-são-joão: para que serve e como usar

Para que serve

A erva-de-são-joão é utilizada principalmente para ajudar no tratamento médico dos sintomas de depressão, assim como para tratar ansiedade e transtornos de humor. Isso acontece porque a planta contém substâncias, como a hipericina e a hiperforina, que atuam a nível do sistema nervoso central, acalmando a mente e restaurando o funcionamento normal do cérebro. Por esse motivo, o efeito desta planta é muitas vezes comparado com alguns antidepressivos de farmácia.

Além disso, a erva-de-são-joão também pode ser usada externamente, na forma de compressa úmida, para ajudar no tratamento de:

  • Queimaduras leves e queimaduras solares;
  • Hematomas;
  • Feridas fechadas em processo de cicatrização;
  • Síndrome da boca ardente;
  • Dor muscular;
  • Psoríase;
  • Reumatismo.

A erva-de-são-joão também pode ajudar a diminuir os sintomas do déficit de atenção, síndrome da fadiga crônica, síndrome do intestino irritável e TPM. É ainda usada popularmente para melhorar hemorroidas, enxaquecas, herpes genital e cansaço.

Por possuir ação antioxidante, a erva-de-são-joão ajuda a eliminar radicais livres e previne o envelhecimento precoce das células, podendo diminuir o risco de câncer. Outras propriedades desta erva incluem sua ação antibacteriana, analgésica, antifúngica, antiviral, diurética, anti-inflamatória e anti espasmódica.

Como usar

As principais formas de usar a erva-de-são-joão é na forma de chá, tintura ou como cápsulas:

1. Chá de erva-de-são-joão

Erva-de-são-joão: para que serve e como usar

Ingredientes

  • 1 colher de chá (2 a 3g) de erva-de-são-joão seca;
  • 250 ml de água fervente.

Modo de preparo

Colocar a erva-de-são-joão na água fervente e deixar repousar entre 5 a 10 minutos. Depois, coar, deixar amornar e beber 2 a 3 vezes ao dia, depois das refeições.

Com o chá também é possível criar uma compressa úmida que pode ser usada externamento para ajudar no tratamento da dor muscular e reumatismo.

2. Cápsulas

A dose recomendada é de 1 cápsula, 3 vezes ao dia, durante o tempo determinado pelo médico ou fitoterapeuta. Para crianças com idade entre os 6 e 12 anos, a dose deve ser de 1 cápsula por dia e só deve ser utilizada com orientação de um pediatra.

Para evitar problemas gástricos, as cápsulas devem ser ingeridas, preferencialmente, depois das refeições.

Geralmente, os sintomas comuns da depressão como cansaço e tristeza, começam a melhorar entre 3 a 4 semanas depois do início do tratamento com as cápsulas.

3. Tintura

A dose recomendada para a tintura de erva-de-são-joão é de 2 a 4 mL, 3 vezes por dia. No entanto, a dose deve ser sempre prescrita por um médio ou fitoterapeuta.

Possíveis efeitos colaterais

A erva-de-são-joão geralmente é bem tolerada, porém, em alguns casos, podem surgir alguns sintomas gastrointestinais, como dor de estômago, reações alérgicas, agitação ou aumento da sensibilidade da pele à luz solar.

Quem não deve usar

A erva-de-são-joão está contraindicada para pessoas com sensibilidade à planta, assim como para pessoas com episódios de depressão grave.

Além disso, esta planta também não deve ser utilizada por grávidas, mulheres a amamentar ou mulheres que estejam utilizando anticoncepcionais orais, já que pode alterar a eficácia do comprimido. Crianças com menos de 12 anos também só devem consumir a erva-de-são-joão com orientação de um médico.

Os extratos feitos com a erva-de-são-joão podem interagir com alguns medicamentos, especialmente ciclosporina, tacrolimo, amprenavir, indinavir e outros medicamentos inibidores da protease, assim como com o irinotecano ou a varfarina. A planta também deve ser evitada por pessoas que fazem uso d buspirona, triptanos ou benzodiazepinas, metadona, amitriptilina, digoxina, finasterida, fexofenadina, finasterida e sinvastatina.

Os antidepressivos inibidores de recaptação de serotonina, como sertralina, paroxetina ou nefazodona também não devem ser usados em conjunto com a erva-de-são-joão.

Bibliografia >

  • EUROPEAN MEDICINES AGENCY. European Union herbal monograph on Hypericum perforatum L., herba (traditional use). Disponível em: <https://www.ema.europa.eu/en/documents/herbal-monograph/draft-european-union-herbal-monograph-hypericum-perforatum-l-herba-traditional-use-revision-1_en.pdf>. Acesso em 28 Out 2020
  • HERBARIUM. Hipérico. 2009. Disponível em: <https://img.onofre.com.br/raiadrogasil_bula/52559.pdf>. Acesso em 19 Dez 2019
  • NABAVI Sered, SILVA Ana. Nonvitamin and Nonmineral Nutritional Supplements. 1º. Academic Press, 2018. 415-428.
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem