Exame LDH (Desidrogenase Láctica): o que é e o que significa o resultado

O LDH, também chamado de desidrogenase láctica ou lactato desidrogenase, é uma enzima presente dentro das células responsável pelo metabolismo da glicose no organismo. Essa enzima pode ser encontrada em diversos órgãos e tecidos e, por isso, a sua elevação é pouco específica, sendo indicada a realização de outros exames para que se possa chegar a um diagnóstico.

No caso de haver resultado alterado do LDH, além de outros exames, pode ser que o médico indique a dosagem das isoenzimas LDH, cuja elevação pode indicar alterações mais específicas:

  • LDH-1, que está presente no coração, hemácias e rins;
  • LDH-2, que pode ser encontrada no coração, em menor quantidade, e nos leucócitos;
  • LDH-3, que está presente nos pulmões;
  • LDH-4, que é encontrado na placenta e no pâncreas;
  • LDH-5, que é encontrado no fígado e no músculo esquelético.

Os valores normais da lactato desidrogenase podem variar de acordo com o laboratório, sendo normalmente considerado entre 120 e 246 UI/L nos adultos.

Exame LDH (Desidrogenase Láctica): o que é e o que significa o resultado

Para que serve o exame

O exame LDH pode ser solicitado pelo médico como exame de rotina, juntamente com outras dosagens laboratoriais. No entanto, esse exame é principalmente indicado em caso de investigação de problemas cardíacos, sendo solicitado juntamente com Creatinofosfoquinase (CK) e troponina, ou de alterações hepáticas, sendo também solicitada a dosagem de TGO/ AST (Transaminase Oxalacética/ Aspartato Aminotransferase), TGP/ ALT (Transaminase Glutâmico Pirúvica/ Alanina Aminotransferase) e GGT (gama glutamil transferase). Conheça outros exames que avaliam o fígado.

Além disso, uma vez que a COVID-19 está relacionada com diversas alterações hematológicas e bioquímicas, o médico também pode solicitar a dosagem de LDH, juntamente com a realização do hemograma e dosagem de dímero-D, ferritina e proteína C reativa, por exemplo, com o objetivo de confirmar a infecção e avaliar a gravidade da doença.

Para fazer o exame na maioria das vezes não é necessário realizar jejum ou qualquer outro tipo de preparo, no entanto alguns laboratórios indicam que é preciso que a pessoa esteja com pelo menos 4 horas de jejum. Por isso, antes de realizar o exame é importante se informar no laboratório qual o procedimento adequado, além de informar o uso de medicamentos.

O que significa LDH alto

O aumento do LDH é normalmente indicativo de lesão em órgãos ou tecidos. Isso porque como consequência do dano celular, o LDH contido dentro das células é liberado e fica circulante na corrente sanguínea, sendo sua concentração avaliada por meio de exame de sangue. As principais situações em que se pode verificar o aumento do LDH são:

  • Anemia megaloblástica;
  • Carcinoma;
  • Choque séptico;
  • Infarto;
  • Anemia hemolítica;
  • Leucemia;
  • Mononucleose;
  • Hepatite;
  • Icterícia obstrutiva;
  • Cirrose.

Além disso, os níveis de LDH no sangue podem estar aumentados em caso de COVID-19, podendo ser observadas outras alterações laboratoriais, como diminuição dos níveis de linfócitos e aumento da concentração de proteína C reativa e dímero-D, por exemplo. Alguns estudos indicam que quanto maior o nível de LDH, maior é a gravidade da doença.

Algumas situações podem aumentar os níveis de LDH, não sendo indicativo de doenças, principalmente se outros parâmetros laboratoriais solicitados estejam normais. Algumas das condições que podem alterar os níveis de LDH no sangue são atividade física intensa, uso de alguns medicamentos e gravidez.

O que pode ser LDH baixo?

A diminuição da quantidade de desidrogenase láctica no sangue normalmente não é preocupante e nem está relacionada com doenças, não sendo motivo para investigação. Em alguns casos, a diminuição de LDH pode estar relacionada com o excesso de vitamina C, podendo ser recomendada alteração dos hábitos alimentares da pessoa.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • HINRICHSEN, Sylvia L. Causas de...: Diagnóstico diferencial. 1 ed. Rio de Janeiro: Medbook, 2014. 289-290.
  • KANTRILL, Aziza; ZIATI, Jihane; KHALIS, Mohamed et al. Hematological and biochemical abnormalities associated with severe forms of COVID-19: A retrospective single-center study from Morocco. PLOS One. 2021
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANÁLISES CLÍNICAS. Alterações laboratoriais em pacientes com Covid-19. Disponível em: <https://www.sbac.org.br/blog/2020/03/26/alteracoes-laboratoriais-em-pacientes-com-covid19/>. Acesso em 17 Mar 2021
  • FORKASIEWICZ, Agata; DOROCIAK, Maja; STACH, Kamilla, et al. The usefulness of lactate dehydrogenase measurements in current oncological practice. Cellular & Molecular Biology Letters. Vol 35. 25 ed; 2020
  • FARHANA, AISHA; LAPPIN, SARAH L. Biochemistry, Lactate Dehydrogenase. 2021. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK557536/>. Acesso em 10 Set 2021
Mais sobre este assunto: