Funcho: para que serve e como usar

O funcho é uma planta medicinal que tem ótimas quantidades de taninos, alcaloides, saponinas, flavonoides e ácidos graxos essenciais, sendo muito utilizado como remédio caseiro para melhorar a digestão, combater gases e cólicas.

As sementes de funcho são muito aromáticas e, por isso, são normalmente usadas na culinária, para preparação de pratos doces, como bolos e biscoitos caseiros, mas também podem ser adicionadas a preparações salgadas. Já a planta é mais utilizada em pratos com carne ou peixes. Além disso, o funcho é muito utilizado na forma de chá, óleo essencial ou em medicamentos e produtos cosméticos.

O funcho, conhecido cientificamente como Foeniculum vulgare, pode ser comprado em supermercados, lojas de produtos naturais ou farmácias de manipulação na forma de flores, óleo essencial, tinturas, folhas ou sementes secas. Ainda é possível encontrar o funcho em feiras livres e supermercados podendo-se encontrar o caule e as folhas do funcho fresco.

Flores de Funcho
Flores de Funcho

Para que serve o funcho

Os principais benefícios do funcho para saúde são:

  1. Aliviar as cólicas menstruais e intestinais;
  2. Diminuir os sintomas da TPM;
  3. Combater a dor de estômago;
  4. Melhorar a digestão;
  5. Combater a diarreia e a prisão de ventre;
  6. Ajudar no controle da pressão alta;
  7. Estimular a produção de leite materno;
  8. Combater o excesso de gases;
  9. Ajudar no combate a gripes e resfriados;
  10. Aliviar náuseas e vômitos;
  11. Melhorar a ansiedade e o sono;
  12. Auxiliar na desintoxicação e proteger o fígado;
  13. Prevenir doenças cardiovasculares, como aterosclerose ou infarto;
  14. Combater vermes intestinais.

O funcho oferece esses benefícios porque suas folhas e sementes possuem compostos como o anetol, saponinas, flavonoides, taninos, cumarinas e ácido rosmarínico, que possuem ação relaxante, anti-inflamatória, estimulante, antiespasmódica, carminativa, anti plaquetária, vermífuga, digestiva, diurética e expectorante suave. 

Diferença entre funcho e erva doce

A erva doce e o funcho têm aparência semelhante e, dessa forma, são facilmente confundidos, sendo popularmente chamados de “erva-doce”. Porém, são plantas diferentes que possuem diferentes compostos e propriedades.

A erva doce é uma planta que tem as flores brancas, folhas largas e os frutos são arredondados e pequenos. Entenda melhor sobre a erva doce e seus benefícios.

Sementes de erva doce
Sementes de erva doce

Já o funcho tem as​​ folhas mais finas, flores amarelas e suas sementes são mais alongadas e maiores que as da erva doce.

Sementes de funcho
Sementes de funcho

Como usar

As sementes do funcho podem ser usadas na forma de óleo essencial, tinturas, chás ou adicionadas à bolos ou tortas. Já as folhas de funcho e o caule podem ser usados na culinária para temperar a carne, peixes e saladas. 

Algumas formas de usar a planta são:

1. Chá de funcho

O chá de funcho auxilia no alívio de cólicas, diarreia, ajuda a combater o excesso de gases, além de ajudar a aumentar a produção de leite materno.

Ingredientes:

  • 150 ml de água fervente;
  • 1 colher de chá (de 5 a 7 g ) de sementes ou folhas frescas de funcho.

Modo de preparo:

Colocar 1 colher de chá das sementes ou folhas de funcho em água. Deixar repousar por 10 a 15 minutos, deixar amornar e beber de 1 a 3 vezes ao dia.

2. Óleo essencial 

A ingestão do óleo essencial das sementes de funcho é segura, sendo indicada para má digestão, diarreias, cólicas e também é recomendado na prevenção de infarto e aterosclerose, por exemplo. 

Além disso, o uso tópico do óleo é indicado em tratamentos dermatológicos, auxiliando em drenagens linfáticas, auxiliando na cicatrização de feridas e como calmante, na aromaterapia. 

A recomendação quanto à quantidade do óleo e frequência varia de acordo com o objetivo, sendo geralmente indicado tomar em torno de 2 a 5 gotas de óleo diluídas em 1 colher de sopa de óleo de coco ou azeite, 2 a 3 vezes ao dia. 

Para aplicar na pele pode-se misturar algumas gotas de óleo essencial com um pouco de óleo vegetal, como coco, jojoba ou gérmen de trigo, e realizar massagens corporais. Veja mais sobre as diferentes formas de uso de óleos essenciais

3. Tintura de funcho

A tintura de funcho pode ser utilizada para auxiliar no combate ao excesso de gases, diarreia e má digestão.

Normalmente é indicada a tintura de funcho a 10%, tomada de 1 a 3 mL, diluída em 50 mL de água, de uma a três vezes ao dia.

Quando não deve ser usado

O funcho é contraindicado durante a gravidez, pois pode aumentar as contrações do útero e causar abortos. Além disso, não deve ser consumido por pessoas com  história de epilepsia e em crianças, a ingestão não deve ser feita por tempo prolongado. 

A planta também pode causar reações alérgicas na pele. Além disso, deve-se evitar o uso do funcho em quem tem hiperestrogenismo e por mulheres com fluxo menstrual elevado.

Já a tintura de funcho não deve ser usada por mulheres grávidas e que amamentam, por alcoolistas e diabéticos, pois contém álcool. Assim como é contraindicado para pessoas com refluxo e deve ser consumido com cautela para quem não deseja / pode engravidar, pois a tintura de funcho pode diminuir o efeito de medicamentos anticoncepcionais. 

Antes de iniciar o uso do funcho, é fundamental realizar uma consulta com um médico ou outro profissional de saúde especializado no uso de plantas medicinais, para prevenir possíveis efeitos adversos com o uso da planta.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • MINISTÉRIO DA SAÚDE E ANVISA. Monografia da espécie Foeniculum vulgare Mill. (FUNCHO). Disponível em: <https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2017/setembro/11/Monografia-Funcho.pdf>. Acesso em 11 Ago 2021
  • MACHADO, A, Solange. ANÁLISE FARMACOGNÓSTICA DAS PLANTAS MEDICINAIS Pimpinella anisum L. E Foeniculum vulgare, Mill.. tese de conclusão de curso, 2020. Centro Universitário Uniguairaçá.
  • AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA - ANVISA. Formulário de fitoterápicos: farmacopéia brasileira 2ª edição. 2021. Disponível em: <https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/farmacopeia/formulario-fitoterapico/arquivos/2021-fffb2-final-c-capa2.pdf>. Acesso em 11 Ago 2021
  • CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Plantas Medicinais e Fitoterápicos. 2019. Disponível em: <http://www.crfsp.org.br/images/cartilhas/PlantasMedicinais.pdf>. Acesso em 11 Ago 2021
Mais sobre este assunto: