Gravidez precoce (na adolescência): causas e consequências

A Organização Mundial de Saúde considera gravidez precoce sempre que a menina engravida antes dos 19 anos, sendo que a maioria dos casos acontece entre os 15 e os 19 anos. A gravidez precoce geralmente se deve à cultura, ao baixo nível econômico e à dificuldade de acesso a métodos contraceptivos.

A gravidez numa fase precoce da vida, como a adolescência, pode resultar em diversas consequências tanto para a gestante quanto para o bebê, como depressão durante e após a gravidez, parto prematuro e aumento da pressão arterial.

Gravidez precoce (na adolescência): causas e consequências

Principais consequências da gravidez precoce

A gravidez precoce pode gerar várias consequências tanto para a mãe quanto para o bebê, podendo ter impactos físicos, psicológicos e socioeconômicos:

1. Consequências físicas

Devido ao fato da mulher não estar totalmente pronta fisicamente para uma gestação, há maior chance de parto prematuro, rompimento precoce da bolsa e aborto espontâneo, por exemplo.

Além disso, é possível que ocorra diminuição do peso, anemia e alterações no processo de formação dos vasos sanguíneos da placenta, podendo resultar em aumento da pressão arterial, cuja situação recebe o nome de pré-eclâmpsia. Entenda o que é a pré-eclâmpsia.

2. Consequências psicológicas

A maior parte das meninas que se encontram em uma gestação precoce não estão preparadas emocionalmente para serem mães, por isso é comum o desenvolvimento de depressão, tanto durante a gravidez, como no pós-parto. Pode ainda acontecer diminuição da auto-estima e problemas afetivos entre a mãe o bebê.

3. Consequências socioeconômicas

É muito comum que durante e após a gravidez a mulher precise abandonar os estudos ou o trabalho, pois pode ser difícil conciliar as duas coisas, além de sofrerem imensa pressão da sociedade, muitas vezes, da própria família em relação ao casamento e ao fato de estar grávida ainda na adolescência.

Além disso, estar grávida é muitas vezes considerado um motivo para empresas não contratarem, pois tende a representar um maior gasto para a empresa, uma vez que dentro de alguns meses entrará em licença maternidade.

4. Consequências para o bebê

O fato da mulher não estar preparada fisicamente e emocionalmente pode aumentar as chances de parto prematuro, do nascimento com baixo peso e, até mesmo, do risco de alterações no desenvolvimento da criança.

Devido a todas as implicações que a gravidez precoce pode provocar, este tipo de gestação é considerado uma gravidez de alto risco e deve ser acompanhada por profissionais de saúde qualificados para evitar ou diminuir o impacto das consequências. Conheça os riscos da gravidez na adolescência.

Causas da gravidez precoce

As principais causas da gravidez precoce devem-se a vários fatores diferentes, mas podem incluir:

  • Primeira menstruação muito cedo;
  • Desinformação sobre gravidez e métodos contraceptivos;
  • Baixo nível financeiro e social;
  • Famílias com outros casos de gravidez precoce;
  • Conflitos e mau ambiente familiar.

A gravidez precoce pode acontecer em qualquer classe social, mas é mais frequente nas famílias de baixa renda, já que muitas vezes as jovens, devido a falta de objetivos ou incetivos da família em relação aos estudos, passa a acreditar que ter um filho representa um projeto de vida.

O que fazer em caso de gravidez na adolescência

Em caso de gravidez precoce, o que a jovem pode fazer é marcar uma consulta médica para iniciar o pré-natal e contar a sua família para obter o apoio necessário.

Médicos psicólogos e obstetras, assim como enfermeiro e assistente social devem ser informados para que haja uma correta vigilância pré-natal para reduzir as complicações na mãe e no bebê. Este tipo de acompanhamento também ajuda a evitar uma nova gravidez na adolescência e a incentivar a jovem mãe a voltar à escola.

Veja quais são os cuidados durante a gravidez na adolescência.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • OMS. Adolescent pregnancy. Disponível em: <https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/adolescent-pregnancy>. Acesso em 29 Jun 2021
Mais sobre este assunto: