Higroma cístico: o que é, sintomas, tipos e tratamento

O higroma cístico, também chamado de linfangioma cístico, é uma condição caracterizada pela formação de tumor benigno em locais como pescoço, axila ou rosto, e que ocorre devido a uma malformação rara do sistema linfático, que é a responsável pela produção das células de defesa do organismo, e pela drenagem e filtração dos líquidos do corpo.

Esta malformação é mais comum em bebês, sendo observada ainda durante a gestação ou após o nascimento e pode causar alguns problemas, como dificuldade para respirar, dor, febre ou dificuldade para engolir. No entanto, o higroma cístico também pode surgir durante a vida adulta, apesar de ser mais raro.

Algumas das terapias indicadas para tratar o higroma cístico são a drenagem, a cauterização, o uso de antibióticos, a cirurgia ou a escleroterapia, que consiste na aplicação de medicamento diretamente no cisto, como o OK432 (Picibanil) ou a bleomicina, para diminuir o tamanho das lesões.

Higroma cístico: o que é, sintomas, tipos e tratamento

Tipos de higroma cístico

Os tipos de higroma cístico variam de acordo com a localização dos tumores, que podem ser cérvico-facial, encontrados na região da cabeça e pescoço, na axila e na virilha. No entanto, em casos mais raros, o cistos também podem se desenvolver no baço, nos rins, no pâncreas, no fígado ou no intestino.

Os tipos de higroma cístico que ocorrem com maior frequência são:

1. Higroma cístico cérvico-facial

O higroma cístico cérvico-facial atinge a região da cabeça e pescoço e as principais características são a presença de nódulos de tamanhos pequenos ou grandes, flexíveis e com textura mole.

2. Higroma cístico de língua

Este tipo de higroma cístico é o mais comum entre os tipos que atingem a boca e apresenta pequenos nódulos superficiais, com formato irregular, lembrando “ovos de rã" ou pedras minúsculas, podendo conter sangue e líquido transparente, a linfa.

3. Higroma cístico de axila

Este tipo de higroma é localizado na região da axila, sendo formado por uma massa flexível, de tamanho que varia entre pequeno a médio, e que contém linfa, células de gordura e, em alguns casos, pode conter sangue.

4. Higroma cístico de virilha e escroto

O higroma cístico de virilha e escroto é extremamente raro e apresenta forma de uma massa macia que pode se localizar na virilha e no escroto e ser  identificada através de exame de ultrassonografia.

Principais sintomas

Na maioria dos casos, o higroma cístico não causa dor. No entanto, por promover uma inflamação local, alguns dos principais sintomas que podem surgir de acordo com a localização e o tamanho das lesões, são:

  • Febre;
  • Dor de cabeça;
  • Náuseas;
  • Rouquidão;
  • Dificuldade para engolir;
  • Vômitos;
  • Dor no local das lesões;

Casos mais complicados de higroma cístico também podem causar sintomas mais graves, como hemorragia e dificuldade para respirar.

Causas do higroma cístico

As causas do aparecimento do higroma cístico ainda não são totalmente conhecidas. No entanto, acredita-se que seja causada por defeitos no desenvolvimento dos canais do sistema linfático, gerando o acúmulo de linfa, líquido que remove as impurezas do organismo, causando a formação dos cistos. Entenda o que é e como funciona o sistema linfático.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico do higroma cístico no bebê acontece ainda durante a gestação, onde o obstetra pode solicitar a translucência nucal, um exame que é realizado durante a ultrassonografia, podendo ser feito durante o pré natal. Veja como é feito o exame de translucência nucal.

Após o nascimento, a observação, a palpação, e exames como ultrassonografia, ressonância magnética e tomografia computadorizada são as formas mais utilizadas pelos médicos para verificar a composição do cisto e diagnosticar o higroma cístico.

Como é o tratamento

O tratamento mais indicado para combater o higroma cístico é a escleroterapia, um tipo de tratamento em que é injetado medicamento no cisto, como o OK432 (Picibanil) ou a bleomicina, para diminuir o tamanho das lesões. Veja como é feita a escleroterapia.

Outra opção recomendada para tratar o higroma cístico é punção do líquido do tumor, para diminuir o seu tamanho, evitando lesões em outros órgãos.

Dependendo da localização, a cirurgia para remover completamente o higroma pode ser indicada, mas esta pode não ser a melhor opção pelo risco de complicações durante a cirurgia, como lesão em nervos e artérias, ou após as cirurgias, como hemorragias e infecções.

Além disso, em alguns casos também pode ser indicada algumas sessões de fisioterapia para diminuir a dor e melhorar a mobilidade da região onde foi retirado o cisto.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • STATPEARLS PUBLISHING . Cystic Hygroma. 2021. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK560672/>. Acesso em 19 Out 2021
  • TEMIZKAN, Osman. Fetal axillary cystic hygroma: a case report and review. Rare Tumors. Vol.3. 4.ed; 122-125, 2011
  • HAGE, A, Caio et al. Linfangioma Microcístico em língua: relato de caso. Revista de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial. Vol.16. 4.ed; 49-52, 2016
  • KRAKHECKE, R, Luiza Helena et al. Linfangioma de cabeça e pescoço: levantamento de casos. Revista da Faculdade de Odontologia de Passo Fundo. Vol.19. 2.ed; 212-217, 2014
  • PATOULIAS, Ioannis et al. Cystic lymphangioma of the inguinal and scrotal regions in childhood - report of three cases. Hippokratia. Vol.18. 1.ed; 88-91, 2014
Mais sobre este assunto: