Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
Fechar Coronavírus: Informações sobre COVID-19 Ler mais
O que você precisa saber?

Inflamação no útero: principais sintomas e tratamento

A inflamação no útero corresponde à irritação dos tecidos uterinos que acontece principalmente devido a infecção por microrganismos como Candida sp., Chlamydia sp. ou Neisseria gonorrhoeae, mas também pode ser devido a alergia a produtos, alteração do pH por falta ou excesso de higiene ou ferimentos na região. 

A inflamação no útero pode provocar sintomas como corrimento, sangramento fora da menstruação, dores tipo cólica e sensação de útero inchado, no entanto, na maioria dos casos, a inflamação não leva ao aparecimento dos sintomas e por isso o diagnóstico é feito de forma tardia, resultando no agravamento da doença.

A confirmação do diagnóstico é feita pelo ginecologista através do papanicolau ou um exame chamado colposcopia, em que se observa a presença dos sinais de inflamação e pode-se coletar material para análise. Já o tratamento normalmente é feito com remédios em comprimido ou pomada, que podem ser antibióticos ou anti-inflamatórios, por exemplo.

Inflamação no útero: principais sintomas e tratamento

Principais sintomas

Apesar de na maioria das vezes a inflamação do útero não levar ao aparecimento de sinais e sintomas, quando estes aparecem são:

  • Corrimento amarelado, marrom ou cinza com mau cheiro;
  • Sangramento durante ou após o contato íntimo;
  • Sangramento fora do período menstrual;
  • Dor ao urinar e durante o contato íntimo;
  • Dor na parte inferior da barriga;
  • Sensação de inchaço na parte inferior da barriga ou no útero.

No entanto, é importante lembrar que esses sintomas também podem estar presentes em outras doenças do útero, como mioma ou pólipos uterinos, por exemplo. Veja mais sobre as doenças do útero.

Além disso, a dor ao urinar e dor abdominal também podem ser sinais de inflamação nos ovários, que está normalmente associada a bactérias e que pode acometer um ou os dois ovários. Saiba como identificar a inflamação no ovário e como tratar.

Inflamação no útero e gravidez

A inflamação no útero dificulta a mulher a engravidar por impedir que o embrião se implante na parede do útero e se desenvolva. No entanto, quando ela ocorre já durante a gravidez, normalmente não interfere no desenvolvimento do feto, se tratada adequadamente, mas quando não tratada pode levar a complicações como o aborto.

Inflamação no útero: principais sintomas e tratamento

Causas da inflamação no útero

As causas da inflamação no útero incluem:

  • Presença de doenças sexualmente transmissíveis, como a gonorreia, a clamídia ou HPV;
  • Vaginites infecciosas, como candidíase ou vaginose bacteriana, por exemplo;
  • Alergia ao material dos preservativos, do diafragma ou de produtos químicos como espermicidas;
  • Falta de higiene na região íntima ou excesso de higiene, principalmente com o uso de duchas, pois isso altera o pH vaginal e favorece o crescimento de micro-organismos que causam doenças;
  • Lesões provocadas pelo parto.

É importante identificar a causa da inflamação do útero para que seja feito o tratamento adequado e evitar a recorrência do problema.

Inflamação no útero pode virar câncer?

Caso a inflamação no útero seja a causada pelo vírus do HPV, e o tratamento não seja afeito corretamente, é possível que a inflamação se torne o câncer do colo do útero. Por isso, sempre que houverem sinais e sintomas que indiquem uma inflamação, é importante procurar o atendimento com ginecologista para identificação da causa e início do tratamento o quanto assim que possível.

Entenda quais são os sintomas de câncer no colo do útero, os riscos e o que fazer em caso de suspeita

Como é feito o tratamento

O tratamento a ser realizado para inflamação no útero depende da causa do problema. Quando a doença é decorrente da presença de microrganismos estranhos, o tratamento é feito com a ingestão de remédios antibióticos, em comprimidos ou pomadas, antifúngicos ou antivirais, como Nistatina, Miconazol, Clindamicina ou Metronidazol, por exemplo, que devem ser usados de acordo com a orientação do ginecologista. Em alguns casos, os parceiros sexuais também precisam fazer o tratamento, para garantir que os micro-organismos sejam eliminados e, assim, evitar a volta da inflamação.

Além disso, o ginecologista também poderá indicar a cauterização do colo do útero, para ajudar a cicatrizar algumas lesões. No entanto, se a inflamação no útero é causada por alergia a materiais que entram em contato com a região interna da mulher, como a camisinha e o diafragma, deve-se suspender a utilização desses produtos e, se necessário, tomar medicamentos anti-inflamatórios para melhorar a dor e recuperar o útero.

Caso a inflamação no útero não seja tratada, ela pode atingir regiões mais internas, como o endométrio, as trompas e os ovários. Nesses casos, pode ser necessário que o tratamento seja feito no hospital, com medicação dada diretamente na veia para conter a inflamação mais rapidamente.

Opções caseiras

Como forma de complementar o tratamento da inflamação no útero, é orientado evitar o contato íntimo, beber cerca de 2 litro de líquidos por dia, além ter uma alimentação saudável, que favorece a cicatrização da inflamação, rica em ômega-3, presente no salmão e sardinha, além de frutas, legumes e verduras. Confira algumas receitas de remédios caseiros para complementar o tratamento da inflamação no útero.

Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem