Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Isoflavona: o que é, para que serve e como tomar

Novembro 2020

As isoflavonas são compostos naturais encontrados de forma abundante principalmente na soja da espécie Glycine max e no trevo vermelho da espécie Trifolium pratense, e em menor quantidade na alfafa.

Estes compostos são considerados um estrógeno natural e podem ser utilizados na sua forma natural ou em suplementos para aliviar sintomas da menopausa, como ondas de calor, aumento da quantidade de suor ou distúrbios do sono. Além disso, as isoflavonas podem diminuir sintomas da TPM e prevenir osteoporose e doenças cardiovasculares.

Embora as isoflavonas tenham vários benefícios para a menopausa, estes compostos não devem ser utilizados por mulheres que têm ou já tiveram câncer de mama, ou por mulheres grávidas ou em amamentação.

As isoflavonas podem ser consumidas em alimentos ou compradas na forma de suplementação em lojas de produtos naturais, farmácias de manipulação e drogarias. É importante fazer uma avaliação com o ginecologista antes de iniciar o tratamento com estes compostos.

Isoflavona: o que é, para que serve e como tomar

Para que serve

As isoflavonas são indicadas para reduzir a frequência e a intensidade dos sintomas da menopausa como suor noturno, ondas de calor e insônia. Além disso, podem ser usadas para aliviar os sintomas da TPM, diminuir o colesterol ruim ou prevenir a osteoporose na pós-menopausa.

Principais benefícios

Os principais benefícios das isoflavonas são:

1. Diminuir os sintomas da menopausa

Alguns estudos mostram que as isoflavonas têm estrutura semelhante ao estrógeno, hormônio produzido pelos ovários e que durante a menopausa deixa de ser produzido. Estes compostos podem ser uma alternativa de tratamento para os sintomas da menopausa que incluem excesso de suor noturno, ondas de calor ou fogachos e insônia. Saiba outros remédios para a menopausa.

2. Diminuir os sintomas da TPM

As isoflavonas podem ser usadas para diminuir os sintomas da TPM como irritabilidade, nervosismo ou dor nas mamas que ocorrem devido às mudanças hormonais ao longo do ciclo menstrual. Estes compostos podem regularizar os níveis de estrógeno, auxiliando a reduzir a TPM. Confira outras formas de aliviar os sintomas da TPM.

3. Proteger contra doenças cardiovasculares

As isoflavonas podem diminuir os níveis de colesterol ruim e de triglicérides e por isso previne doenças cardiovasculares como pressão alta e doenças coronarianas. No entanto, os medicamentos para colesterol alto, pressão alta e doenças coronarianas devem ser tomados de forma regular e as isoflavonas da soja podem ser usadas para complementar esses tratamentos.

Isoflavona: o que é, para que serve e como tomar

4. Prevenir a osteoporose

A osteoporose é uma doença comum na pós-menopausa devido às alterações hormonais que ocorrem nessa fase, podendo ocasionar fraturas nos ossos, reduzindo a qualidade de vida da mulher. As isoflavonas podem ser utilizadas para prevenção e tratamento da osteoporose, principalmente para mulheres que possuem contra-indicação para a terapia de reposição hormonal com anticoncepcionais. Veja outras opções de tratamento da osteoporose.

5. Controlar a glicemia

Alguns estudos mostram que os compostos fenólicos presentes nas isoflavonas podem reduzir a absorção de carboidratos pelo intestino, reduzindo os níveis de açúcar no sangue. Além disso, as isoflavonas podem aumentar a sensibilidade do corpo à insulina, podendo ser um importante aliado na prevenção do diabetes. Saiba 5 dicas simples para controlar o diabetes.

Como tomar

A forma mais popular de usar as isoflavonas é na forma de suplementos e o modo de uso varia de acordo com o tipo de substância contida nos suplementos, sendo que as orientações gerais são:

  • Cápsulas de extrato seco de Glycine max (Soyfemme): a dose é de 150 mg uma vez ao dia. A cápsula deve ser tomada sempre no mesmo horário com um pouco de água;

  • Comprimidos de extrato hidroalcoólico seco de Glycine max (Isoflavine): a dose varia de 75 a 150 mg uma vez ao dia, ou pode ser aumentada de acordo com avaliação médica. O comprimido deve ser tomado com um copo de água, sempre no mesmo horário;

  • Comprimido de extrato seco de Trifolium pratense (Climadil, Promensil ou Climatrix): pode-se tomar 1 comprimido de 40 mg uma vez ao dia junto com uma refeição. A dose pode ser aumentada para até 4 comprimidos por dia, dependendo da avaliação médica.

Apesar das isoflavonas possuírem vários benefícios e ajudar a aliviar os sintomas da menopausa, é importante que seja consultado um ginecologista antes de começar a fazer uso dessas substâncias, para que seja a dose seja ajustada individualmente de acordo com as necessidades da mulher.

Isoflavona: o que é, para que serve e como tomar

Alimentos com isoflavonas

As isoflavonas podem ainda ser consumidas no dia a dia através de alimentos como:

  • Soja: as isoflavonas são mais prevalentes em alimentos à base de soja e podem ser consumidas na forma de grão e farinha, por exemplo. Além disso, a soja também pode ser encontrada em óleo e no tofu;

  • Trevo vermelho: esta planta é uma boa fonte de isoflavonas e suas folhas podem ser consumidas cozidas e usadas em saladas, por exemplo, ou pode-se usar as flores secas para fazer chá;

  • Alfafa: as folhas e raízes desta planta podem ser consumidas em sopas, saladas ou chá, e o broto de alfafa deve ser consumido cru em saladas, por exemplo.

As isoflavonas também podem ser encontradas em quantidades muito pequenas em leguminosas como ervilhas, grão-de-bico, feijões-de-lima, favas e lentilhas, além de amendoim e sementes de linhaça.

Possíveis efeitos colaterais

Os principais efeitos colaterais das isoflavonas são intestino preso, aumento da formação de gases intestinais e náusea.

Quem não deve usar

As isoflavonas não devem ser usadas por crianças, mulheres grávidas ou que estejam amamentando, mulheres que têm ou já tiveram câncer de mama e por pessoas que tenham alergia à soja ou qualquer outra planta que esteja na origem do suplemento.

Além disso, as isoflavonas podem interagir com:

  • Medicamentos para tireóide como a levotiroxina: as isoflavonas reduzem a eficácia dos medicamentos para a tireóide, sendo necessário ajuste de dose e monitorização frequente dos hormônios tireoideanos;

  • Antibióticos: os antibióticos em geral reduzem a ação das isoflavonas;

  • Tamoxifeno: o tamoxifeno é um medicamento usado no tratamento do câncer de mama. As isoflavonas reduzem a ação do tamoxifeno e por isso não devem ser utilizados ao mesmo tempo.

É importante informar ao médico e ao farmacêutico todos os medicamentos que são utilizados para evitar interações e o tratamento ser efetivo.

Bibliografia >

  • KRIZOVA, Ludmila; et al. Isoflavones. Molecules . 2019 Mar 19;24(6):1076. 24. 6; 1076-1104, 2019
  • PABICH, Marzena; MATERSKA, Małgorzata . Biological Effect of Soy Isoflavones in the Prevention of Civilization Diseases. Nutrients. 11. 7; 1660-1673, 2019
  • NAHÁS, Eliana Aguiar Petri; et al. Efeitos da isoflavona sobre os sintomas climatéricos e o perfil lipídico na mulher em menopausa. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. 25. 5; 2003
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem