Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Onfalocele: o que é, principais causas e tratamento

A onfalocele corresponde a uma má-formação da parede abdominal no bebê, que normalmente é identificada ainda durante a gravidez e que se caracteriza pela presença de órgãos, como intestino, fígado ou baço, fora da cavidade abdominal e recobertos por uma fina membrana.

Esta doença congênita geralmente é identificada entre a 8ª e 12ª semana de gestação por meio de exames de imagem realizados pelo obstetra durante o pré-natal, mas também pode ser observada apenas após o nascimento.

O diagnóstico precoce deste problema é muito importante para preparar a equipe médica para o parto, pois é provável que o bebê precise ser submetido a cirurgia logo após o nascimento para colocar o órgão no lugar correto, evitando complicações graves.

Onfalocele: o que é, principais causas e tratamento

Principais causas

As causas da onfalocele ainda não estão muito bem estabelecidas, no entanto é possível que aconteça devido a uma alteração genética.

Fatores relacionados com o ambiente da grávida, onde se pode incluir o contato com substâncias tóxicas, o consumo de bebidas alcoólicas, o uso de cigarro ou a ingestão de medicamentos sem orientação do médico, também parecem aumentar o risco de o bebê nascer com onfalocele.

Como é o diagnóstico

A onfalocele pode ser diagnosticada ainda durante a gestação, principalmente entre a 8ª e 12ª de gravidez, por meio do exame de ultrassonografia. Após o nascimento, a onfalocele pode ser percebida por meio do exame físico realizado pelo médico, em que é observada a presença de órgãos fora da cavidade abdominal.

Após avaliação da extensão da onfalocele, o médico determina qual o melhor tratamento, sendo realizada, na maior parte dos casos, uma cirurgia logo após o nascimento. Quando a onfalocele é muito extensa, o médico pode aconselhar realizar a cirurgia por etapas.

Além disso, o médico pode realizar outros exames, como ecocardiograma, raio-X e exames de sangue, por exemplo, para verificar a ocorrência de outras doenças, como alterações genéticas, hérnia diafragmática e defeitos cardíacos, por exemplo, que tendem a ser mais comuns em bebês com outras mal formações.

Como é feito o tratamento

O tratamento é feito por meio de cirurgia, que pode ser feita logo após o nascimento ou depois de algumas semanas ou meses de acordo com a extensão da onfalocele, outras condições de saúde que o bebê pode ter e o prognóstico do médico. É importante que o tratamento seja feito o mais breve possível para evitar possíveis complicações, como por exemplo a morte do tecido intestinal e infecção.

Assim, quando se trata de uma onfalocele menor, ou seja, quando apenas uma porção do intestino se encontra fora da cavidade abdominal, a cirurgia é feita logo após o nascimento e tem como objetivo colocar o órgão no local correto e depois fechar a cavidade abdominal. No caso de onfalocele maior, ou seja, quando além do intestino, outros órgãos, como o fígado ou o baço, estão para fora da cavidade abdominal, a cirurgia pode ser feita em etapas para não prejudicar o desenvolvimento do bebê.

Além da remoção cirúrgica, o médico pode recomendar que seja passada uma pomada com antibiótico, com cuidado, na bolsa que reveste os órgãos expostos, com o objetivo de diminuir o risco de infecções, especialmente quando a cirurgia não é feita logo após o nascimento ou quando é feita por estapas.

Bibliografia >

  • CDC. Facts about Omphalocele. Disponível em: <https://www.cdc.gov/ncbddd/birthdefects/omphalocele.html>. Acesso em 02 Jun 2020
  • CHILDREN'S HOSPITAL OF PHILADELPHIA. Omphalocele . Disponível em: <https://www.chop.edu/conditions-diseases/omphalocele>. Acesso em 02 Jun 2020
  • GENETICS HOME REFERENCE. Abdominal wall defect. Disponível em: <https://ghr.nlm.nih.gov/condition/abdominal-wall-defect>. Acesso em 02 Jun 2020
  • BIBLIOTECA VIRTUAL EM SAÚDE. Manejo da onfocele e da gastroquise no recém-nascido. 2018. Disponível em: <http://docs.bvsalud.org/biblioref/2018/02/879756/manejo-da-onfalocele-e-da-gastrosquise-no-recem-nascido-fernanda-osrio.pdf>. Acesso em 02 Jun 2020
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem