Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é osteoporose, causas, sintomas e tratamento

A osteoporose é uma doença em que há diminuição da massa óssea, o que faz com que os ossos fiquem mais frágeis, aumentando o risco de fratura. Na maioria dos casos, a osteoporose não leva ao aparecimento de sinais ou sintomas, sendo o diagnóstico realizado após a ocorrência de fraturas, por exemplo.

A osteoporose é muito associada ao envelhecimento, uma vez que com o passar dos anos o organismo perde progressivamente a sua capacidade em metabolizar e absorver o cálcio, por exemplo. No entanto, alguns hábitos de vida também podem influenciar na ocorrência da osteoporose, como o sedentarismo, má-alimentação e o consumo de bebidas alcoólicas.

Apesar dessa doença não ter cura, o tratamento pode ser feito com o objetivo de melhorar a qualidade de vida da pessoa e diminuir o risco de fraturas e de doenças associadas. É importante que a pessoa tenha um estilo de vida saudável, com a prática de exercícios físicos regular, além de também poder ser recomendado pelo médico o uso de suplementos ou medicamentos que ajudam no processo de reabsorção de cálcio e formação da massa óssea.

O que é osteoporose, causas, sintomas e tratamento

Sintomas da osteoporose

A osteoporose é na maioria das vezes assintomática e, por isso, costuma ser identificada através de fratura de algum osso após um leve impacto, por exemplo. Além disso, pode ser indicativo de osteoporose a diminuição da estatura em 2 ou 3 centímetros e a presença de ombros caídos ou de corcunda. Saiba como identificar a osteoporose.

A partir da avaliação dos sintomas, o médico pode indicar a realização de um exame de imagem que indica a perda de massa óssea, a densitometria óssea. Esse exame pode ser realizado anualmente ou a cada 2 anos após o diagnóstico da osteoporose para ajuste da dose do medicamento.

Principais causas

A osteoporose é uma doença muito relacionada com o envelhecimento, sendo mais comum nas mulheres após os 50 anos devido à menopausa. Outras causas que podem favorecer o desenvolvimento da osteoporose são:

  • Disfunção da tireoide;
  • Doenças autoimunes;
  • Deficiência de cálcio;
  • Sedentarismo;
  • Alimentação pobre nutricionalmente;
  • Tabagismo;
  • Alcoolismo;
  • Deficiência de vitamina D.

Essas situações fazem com que o organismo não funcione da maneira adequada, havendo um desequilíbrio entre a formação e a destruição óssea, tornando os ossos frágeis e com maior probabilidade de fraturas. Por isso, as pessoas que foram diagnosticadas com qualquer uma dessas alterações devem ser acompanhadas pelo médico para prevenir o desenvolvimento da osteoporose.

O que é osteoporose, causas, sintomas e tratamento

Como é feito o tratamento

O tratamento para a osteoporose deve ser feito de acordo com a orientação do clínico geral ou ortopedista, sendo normalmente indicado o uso de medicamentos que estimulem a produção de massa óssea, o que ajuda a prevenir fraturas.

Além disso, o consumo de quantidade adequadas de cálcio e vitamina D ou o uso de suplementação, além de prática de atividade física de forma regular, como caminhada, dança e hidroginástica, por exemplo, também podem ajudar a alivir os sintomas da osteoporose. Entenda como deve ser o tratamento para osteoporose.

Como prevenir

Para diminuir o risco de osteoporose, é importante que a pessoa adote bons hábitos alimentares e de vida, de forma que possua uma alimenta rica em cálcio e vitamina D, como leite e derivados, ovo e peixes gordurosos, por exemplo, já que o cálcio é um mineral fundamental para o processo de formação do esqueleto, além de garantir a resistência óssea e participar dos processos de contração muscular, liberação de hormônios e coagulação sanguínea.

Além disso, é indicado ficar exposto ao sol por cerca de 15 a 20 minutos nos horários de menor calor, sem utilizar protetor solar, para que seja produzida maior quantidade de vitamina D pelo organismo, interferindo diretamente na saúde dos ossos, uma vez que a vitamina D participa no processo de absorção do cálcio no organismo.

Estes cuidados ajudam a manter os ossos fortes e a retardar a perda de massa óssea, prevenindo o aparecimento da osteoporose, que geralmente é mais frequente após os 50 anos e é caracterizada pela diminuição da massa óssea, o que resulta em maior fragilidade dos ossos e maior risco de fraturas.

A prevenção da osteoporose deve ser feita ao longo da vida, tendo o início na infância por meio da adoção de hábitos simples, como por exemplo:

  • Praticar atividades físicas, como caminhar ou correr, já que o sedentarismo favorece a perda de massa óssea. Os exercícios de alto impacto, como correr, pular, dançar e subir escadas, por exemplo, ajudam a fortalecer os músculos, ligamentos e articulações, melhorando a densidade óssea. Além disso, os exercícios de levantamento de peso ou nos aparelhos de musculação, promove a utilização da força muscular, fazendo com que a força dos tendões sobre os ossos aumente a força do osso;
  • Evitar o cigarro, pois o hábito de fumar está associado a um risco aumentado de osteoporose;
  • Diminuir o consumo de bebidas alcoólicas, uma vez que o consumo de álcool está relacionado com a diminuição de cálcio pelo organismo.

No caso de pessoas mais velhas, é importante que a casa esteja segura para evitar quedas e diminuir o risco de fraturas, já que é normal que aconteça perda de massa óssea durante o processo de envelhecimento. Assim, é recomendado não ter tapetes na casa e no banheiro colocar piso antiderrapante e barras de proteção. 

Confira no vídeo a seguir mais dicas para ter ossos mais fortes e, assim, diminuir o risco de osteoporose:

Bibliografia >

  • FEDERAÇÃO BRASILEIRA DAS ASSOCIAÇÕES DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA. Manual de Orientação de Osteoporose. 2010. Disponível em: <https://www.febrasgo.org.br/images/arquivos/manuais/Manuais_Novos/ManualOsteoporose.pdf>. Acesso em 05 Nov 2019
  • RADOMINSKI, Sebastião C. et al. Diretrizes brasileiras para o diagnóstico e tratamento da osteoporose em mulheres na pós-menopausa. rev bras reumatol. Vol.2. 57.ed; 452-466, 2017
  • GOLDMAN, Lee; SCHAFER, Andrew I.. Goldman-Cecil Medicina. 25 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2018. 1670-1680.
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.


Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem