Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.

Principais remédios para refluxo gastroesofágico

Os remédios para refluxo gastroesofágico, como antiácidos ou protetores gástricos, ajudam a reduzir os sintomas do refluxo como sensação de queimação que pode atingir a garganta e peito, além do estômago. Isto porque esses remédios agem inibindo a produção de ácido, ou neutralizando a acidez no estômago, além de estimular os movimentos intestinais e aumentar a velocidade de esvaziamento do estômago, impedindo que o alimento consiga voltar para o esôfago.

O refluxo gastroesofágico é o retorno do conteúdo do estômago para o esôfago e em direção à boca, causando dor e inflamação constante da parede do esôfago e sintomas como azia, regurgitação dos alimentos, indigestão ou excesso de arrotos. Saiba identificar todos os sintomas do refluxo gastroesofágico.

O tratamento do refluxo gastroesofágico com remédios deve ser orientado pelo gastroenterologista, pois podem causar efeitos colaterais como diminuição da pressão arterial, agitação, retenção de urina ou até palpitação ou arritmia cardíaca.

Principais remédios para refluxo gastroesofágico

1. Antiácidos

Os antiácidos, como hidróxido de alumínio, hidróxido de magnésio, carbonato de cálcio ou bicarbonato de sódio, agem neutralizando rapidamente o ácido do estômago, que é produzido para ajudar na digestão dos alimentos. Ao neutralizar o ácido, esses remédios fazem com que o estômago seja menos agredido pelo ácido, aliviando temporariamente o desconforto causado pelo refluxo gastroesofágico como dor, azia ou sensação de queimação.

No entanto, os antiácidos não curam a inflamação do esôfago causada pelo ácido do estômago, e o uso excessivo ou por muito tempo pode causar acidez rebote, que é quando o estômago aumenta a produção de ácido por perceber que a acidez diminuiu e, assim, o desconforto do refluxo pode piorar.

Além disso, os antiácidos podem causar efeitos colaterais como diarréia ou problemas nos rins, não sendo recomendado seu uso por mais de 2 semanas.

2. Inibidores da produção de ácido

Os inibidores da produção de ácido são os remédios mais usados no tratamento do refluxo gastroesofágico, sendo divididos em dois tipos de acordo com sua ação e incluem:

Inibidores da bomba de prótons

Os inibidores da bomba de prótons, como omeprazol, esomeprazol, pantoprazol ou lansoprazol, por exemplo, são os principais remédios utilizados no tratamento do refluxo gastroesofágico que agem reduzindo a produção de ácido no estômago, através da inibição da bomba de prótons, que é um tipo de proteína presente nas células da parede do estômago. Desta forma, esses remédios permitem a cicatrização da mucosa do estômago e do esôfago, e ajudam a diminuir os sintomas do refluxo gastroesofágico como azia, sensação de queimação no estômago ou na garganta ou arrotos excessivos.

Esses remédios devem ser usados com indicação médica pois podem causar efeitos colaterais como problemas nos rins, dor de cabeça, diarreia, formação de bolinhas na pele, dor abdominal, produção excessiva de gases intestinais, náuseas, prisão de ventre ou deficiência de vitamina B12.

Antagonistas dos receptores da histamina

Os antagonistas dos receptores da histamina, como cimetidina, nizatidina ou famotidina, são uma classe de remédios que agem inibindo a produção de ácido pelo estômago, por se ligarem em proteínas presentes nas células da parede do estômago, impedindo a ação da histamina, que quando ativada aumenta a produção de ácidos.

Esses remédios devem ser indicados pelo médico e são relativamente eficazes no tratamento do refluxo gastroesofágico, com uma ação que pode durar por até 10 a 12 horas. No entanto, pessoas que não apresentam melhora dos sintomas de azia ou sensação de queimação no estômago ou garganta, até 6 semanas após o início do tratamento, devem consultar novamente o gastroenterologista para alterar a dose ou mudar de tratamento.

Os efeitos colaterais mais comuns provocados pelo uso destes medicamentos são diarreia, dor de cabeça, sonolência, cansaço, dor muscular ou prisão de ventre.

Principais remédios para refluxo gastroesofágico

3. Aceleradores do esvaziamento gástrico

Os aceleradores do esvaziamento gástrico, como domperidona, metoclopramida ou cisaprida, aumentam os movimentos intestinais e aceleram o esvaziamento gástrico, fazendo com que a comida fique menos tempo no estômago, evitando que o alimento consiga voltar para o esôfago e, por isso, diminui os sintomas do refluxo.

Esses remédios devem ser utilizados com orientação médica pois não devem ser usados por pessoas com risco de hemorragia, obstrução ou perfuração no estômago ou intestino.

Além disso, os aceleradores do esvaziamento gástrico podem causar efeitos colaterais como diminuição da pressão arterial, agitação, nervosismo, sonolência, diarréia, boca seca, retenção de urina ou até palpitação ou arritmia cardíaca.

4. Protetores gástricos

Os protetores gástricos, como o sucralfato ou sais de bismuto, formam uma barreira protetora na mucosa do estômago e do esôfago, impedindo que o ácido danifique a parede do estômago e do esôfago, e evitando a sensação de queimação quando o conteúdo que está no estômago passa para o esôfago.

Estes remédios não devem ser usados sem indicação ou acompanhamento do médico. Além disso, existem casos mais específicos em que podem ser prescritos outros remédios para o tratamento do refluxo gastroesofágico como baclofeno ou até antidepressivos, por exemplo. Confira todas as opções de tratamento para o refluxo gastroesofágico.

Os efeitos colaterais mais comuns provocados pelos protetores gástricos são escurecimento das fezes, tontura, dor de cabeça, boca seca, náuseas, vômitos, diarreia ou prisão de ventre, formação de bolinhas na pele ou distúrbios psicóticos.

Opções de remédios caseiros

Os remédios caseiros para refluxo gastroesofágico, como chá de gengibre ou chá de camomila, possuem substâncias com ação anti-inflamatória ou antiácida, que ajudam a aliviar a inflamação, a acidez e a proteger a mucosa do estômago e esôfago.

Esses remédios caseiros são uma boa opção para ajudar a controlar as crises de azia ou sensação de queimação no estômago ou garganta, podendo ser usados para complementar o tratamento indicado pelo médico. Veja outras opções de remédios naturais para o refluxo gastroesofágico e como preparar.

Outra opção de tratamento caseiro é fazer mudanças no estilo de vida, como perder peso ou evitar fumar, e alterações na dieta aumentando o consumo de vegetais e frutas e evitando consumir carne vermelha ou frituras, por exemplo.

Assista o vídeo com a nutricionista Tatiana Zanin com outras dicas para reduzir os sintomas do refluxo gastroesofágico:

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • CHUANG, T. W.; CHEN, S. C.; CHEN, K. T. Current status of gastroesophageal reflux disease: diagnosis and treatment. Acta Gastroenterol Belg. 80. 3; 396-404, 2017
  • SANDHU, D. S.; FASS, R. Current Trends in the Management of Gastroesophageal Reflux Disease. Gut Liver. 12. 1; 7-16, 2018
  • ALZUBAIDI, Mohammed; GABBARD, Scott. GERD: Diagnosing and treating the burn. Cleveland Clinic Journal of Medicine. 82. 10; 685-692, 2015
  • PATTI, M. G. An Evidence-Based Approach to the Treatment of Gastroesophageal Reflux Disease. JAMA Surg. 151. 1; 73-8, 2016
  • ROAK, Russel; et al. Management of gastroesophageal reflux disease. Dis Mon. 66. 1; 100849, 2020
  • OLMOS, Jorge A.; et al. Gastroesophageal Reflux Disease Review (GERD). Acta Gastroenterol Latinoam. 46. 2; 160-72, 2016
Mais sobre este assunto:

Carregando
...