Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Sintomas do sarcoma de Kaposi, principais causas e como tratar

O sarcoma de Kaposi é um câncer que se desenvolve nas camadas mais internas dos vasos sanguíneos e a manifestação mais comum é o aparecimento de lesões na pele de coloração vermelho-arroxeada, que podem surgir em qualquer parte do corpo.

A causa do aparecimento do sarcoma de Kaposi é a infecção por um subtipo de vírus da família do herpes chamado de HHV 8, que pode ser transmitido por via sexual e pela saliva. A infecção com este vírus não é suficiente para o aparecimento do câncer em pessoas saudáveis, sendo necessário que o indivíduo tenha o sistema imune debilitado, como acontece nas pessoas com HIV ou idosas.

É importante que o sarcoma de Kaposi seja identificado e tratado para evitar que existam complicações, podendo ser indicado pelo médico a realização de quimioterapia, radioterapia ou imuniterapia.

Sintomas do sarcoma de Kaposi, principais causas e como tratar

Principais causas

O sarcoma de Kaposi normalmente desenvolve-se devido à infecção por um vírus da família do vírus do herpes, o HHV-8, mas também pode ser consequência da infecção pelo vírus HIV, sendo os dois transmitidos por via sexual. No entanto, o desenvolvimento do sarcoma de Kaposi está diretamento relacionado com o sistema imunológico da pessoa.

De forma geral, o sarcoma de Kaposi pode ser classificado em 3 tipos principais de acordo com o fator que influencia o seu desenvolvimento em:

  • Clássico: raro, de evolução lenta e que atinge principalmente homens idosos com sistema imunológico comprometido;
  • Pós-transplante: surge após transplante, principalmente de rins, quando os indivíduos estão com o sistema imune fragilizado;
  • Associado a AIDS: que é a forma mais frequente de sarcoma de Kaposi, sendo mais agressiva e com rápido desenvolvimento.

Além desses, há também o sarcoma de Kaposi endêmico ou africano que é bastante agressivo e que atinge jovens da região africana.

O sarcoma de Kaposi pode ser fatal quando atinge os vasos sanguíneos de outros órgãos, como pulmões, fígado ou trato gastrointestinal, causando sangramentos difíceis de controlar.

Sintomas do sarcoma de Kaposi

Os sintomas do sarcoma de Kaposi mais comuns são lesões na pele vermelhas-arroxeadas espalhadas pelo corpo e o inchaço dos membros inferiores devido à retenção de líquidos. Na pele negra, as lesões podem ser marrom ou pretas. Nos casos mais graves, em que o sarcoma de Kaposi atinge o sistema gastrointestinal, o fígado ou os pulmões, pode surgir sangramento nesses órgãos, dor abdominal, náuseas e vômitos.

Quando o câncer atinge os pulmões, pode provocar insuficiência respiratória, dor no peito e liberação de escarro com sangue.

O diagnóstico do sarcoma de Kaposi pode ser realizado através de uma biopsia em que são removidas células para serem analisadas, raio-X para identificar alguma alteração nos pulmões ou uma endoscopia para poder detetar alterações gastrointestinais.

Como é feito o tratamento

O sarcoma de Kaposi tem cura, mas depende do estado da doença, idade e estado do sistema imunológico do paciente.

​O tratamento do sarcoma de Kaposi pode ser feito através de quimioterapia, radioterapia, imunoterapia e medicamentos. O uso de medicamentos antirretrovirais ajuda também a reduzir o desenvolvimento da doença e promove a regressão das lesões na pele, principalmente em doentes com AIDS.

Em alguns casos, pode ser realizada uma cirurgia, que é geralmente indicada em pessoas que apresentam um pequeno número de lesões, em que estas são removidas.

Bibliografia >

  • PATROCINIO, Jandir. SARCOMA DE KAPOSI CLÁSSICO, A PROPÓSITO DE UM CASO CLÍNICO. Rev Clin Hosp Prof Dr Fernando Fonseca. 4. 1; 45-47, 2016
  • SOUZA, Regislaine Maria et al. Manifestação clínica do Sarcoma de Kaposi como sinal inicial da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida. Arq Ciênc Saúde. Vol 19. 2 ed; 30-32, 2012
  • WAGNER, Amanda K. et al. Sarcoma de Kaposi em paciente portador de HIV: relato de caso. Medicina (Ribeirão Preto, Online.). Vol 51. 2 ed; 157-161, 2018
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem