6 tratamentos para curar o neuroma de Morton

O tratamento para o neuroma de Morton tem como objetivo promover a diminuição da dor, da inflamação e da compressão na região dolorida, o que geralmente é suficiente para que a pessoa possa realizar suas atividades diárias normalmente e possa usar salto alto eventualmente, quando vai numa festa ou jantar, onde não precisa ficar muito tempo de pé.

Assim, de acordo com as características do neuroma, o ortopedista pode indicar o uso de remédios, realização de sessões de fisioterapia ou cirurgia, nos casos mais graves em que não é notada melhora dos sintomas mesmo após a realização do tratamento inicial.

Além disso, é também recomendado que a pessoa faça uso de palmilhas adequadas dentro dos sapatos para acomodar melhor o peito e os dedos dos pés, além de ser muito importante usar sapatos confortáveis que apoiam bem os pés, como um tênis macio ou de corrida, por exemplo, evitando o uso de sandálias rasteirinhas, chinelos e o salto alto.

Local mais comum do Neuroma de Morton
Local mais comum do Neuroma de Morton

Dessa forma, o tratamento indicado pelo ortopedista para neuroma de Morton pode ser:

1. Uso de palmilhas

Inicialmente, o médico pode indicar o uso de palmilhas adequadas dentro dos sapatos para que os pés possam ficar mais acomodados, o que ajuda a diminuir a dor e o desconforto causado pelo neuroma. Além disso, é indicado que sejam utilizados sapatos confortáveis, como tênis macio ou de corrida, e que seja adequado à pisada da pessoa.

É também fundamental evitar sapatos de salto alto, chinelos e sandálias rasteiras, já que podem aumentar o nível de compressão do neuroma, tornando os sintomas mais intensos.

2. Remédios e infiltrações

Tomar um analgésico pode ser útil se estiver sentindo dor nos pés, mas aplicar uma pomada anti-inflamatória como Cataflan, também é uma boa opção para aliviar a dor e o desconforto. No entanto, não se deve tomar analgésicos todos os dias, nem usar esse tipo de pomada por mais de 1 mês, porque isso indica que o tratamento não está tendo o resultado esperado.

O ortopedista pode dar uma injeção com corticoide, álcool ou fenol, no local exato da dor, o que alcança ótimos resultados e a pessoa fica sem dor por semanas ou meses. No entanto, esse tipo de injeção não deve ser aplicada mais de 1 vez por ano, e por isso, se os sintomas persistirem, é indicado fazer algumas sessões de fisioterapia.

3. Fisioterapia

A fisioterapia deve ser capaz de diminuir a dor, a inflamação e melhorar a movimentação e o apoio do pé, fazendo com que a pessoa seja capaz de realizar suas atividades diárias normalmente.

Embora a fisioterapia não seja capaz de eliminar completamento o caroço que se formou, pode diminuir o seu tamanho, aliviando a dor, e ainda consegue melhorar a anatomia do pé, para evitar que um novo neuroma se forme. Alguns recursos que podem ser utilizados na fisioterapia são:

  • Ultrassom com gel anti-inflamatório, durante cerca de 5 minutos no local exato da dor no pé. Para acoplar melhor o aparelho pode-se colocar o pé num balde com água porque esta permite a passagem das ondas até o neuroma;
  • Mobilização dos metatarsos e dedos dos pés, para melhorar a mobilidade de todos eles;
  • Massagem transversa profunda para quebrar os pontos de fibrose do nervo;
  • Exercícios de fortalecimento dos flexores e extensores dos dedos dos pés com banda elástica;
  • Exercícios proprioceptivos como manter o equilíbrio numa superfície cilíndrica, por exemplo;
  • Alongamento da fáscia plantar, que é um tecido que recobre internamente todas as estruturas do pé;
  • Técnica de crochetagem, que é um tipo de gancho que é eficaz para eliminar a fibrose do nervo, através de pequenos movimento com o gancho no local do neuroma;
  • Uso de bolsa de gelo ou crioflow para resfriar toda região, combatendo os sinais inflamatórios e a dor;
  • Massagem relaxante nos pés para finalizar o tratamento fisioterapêutico;
  • Sessões de reeducação postural global para corrigir realinhar todo corpo, permitindo corrigir alterações da anatomia do pé.

Este é apenas um exemplo de tratamento fisioterapêutico, porque o fisioterapeuta poderá escolher outras técnicas e equipamentos para promover o controle da dor e dos sintomas apresentados. No entanto, as sessões devem ser realizadas, pelo menos, 3 vezes por semana com duração mínima de 30 minutos cada.

4. Cirurgia

A cirurgia é a última opção para o tratamento do neuroma de Morton, sendo indicada quando o tratamento com remédios, infiltrações e fisioterapia não foram suficientes. A cirurgia é uma das melhores escolhas para curar o neuroma porque é o único tratamento que elimina completamente o caroço que se formou no nervo, no entanto, a cirurgia não impede que um outro neuroma se forme, sendo importante um trabalho em conjunto com a fisioterapia.

De acordo com as características do neuroma, o médico pode realizar dois tipos de procedimentos:

  • Corte na parte superior ou inferior do pé para remover o neuroma ou apenas remover os ligamentos a fim de aumentar o espaço entre os ossos do pé;
  • Criocirurgia que consiste em aplicar temperaturas entre 50 a 70ºC negativos, diretamente no nervo afetado. Isto leva a uma destruição de parte do nervo impedindo-o de gerar dor e este procedimento gera menos complicações pós-operatórias.

A cirurgia é feita com anestesia local e demora cerca de 1 hora, sendo preciso ficar na sala de recuperação para observação e para descansar com o pé elevado, o que facilita a cicatrização. Logo após o procedimento, é normal que o pé fique inchado e que o médico enfaixe o pé para que a pessoa consiga andar apoiando somente o calcanhar no chão e com uma muleta.

Nem sempre é preciso remover os pontos da cirurgia, ficando à escolha do médico. Em cerca de 1 semana a pessoa deve voltar para a fisioterapia para que possa se recuperar mais rápido da cirurgia, diminuindo o desconforto e o inchaço do pé.

5. Acupuntura

As sessões de acupuntura são boas opções de tratamento alternativo, sendo capaz de aliviar a dor e o desconforto, quando a pessoa não quer ou não pode se submeter à cirurgia. Geralmente as sessões são realizadas 1 vez por semana, onde o acupunturista insere pequenas agulhas nos pés ou nos meridianos do corpo que achar necessário. Isso reequilibra as energias do corpo, diminui a tensão, o stress, além de aliviar o desconforto.

6. Tratamento caseiro

Colocar uma compressa quente no local da dor e massagear a região também é uma boa forma de se sentir melhor. Aplicar uma pomada com cânfora ou arnica, que podem ser compradas nas farmácias ou em lojas de produtos naturais ou na manipulação, também pode ser útil para massagear os pés depois do banho, antes de dormir. Veja o passo a passo de como fazer uma massagem relaxante nos pés.

Esta informação foi útil?
Mais sobre este assunto: