Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Vasculite cutânea: o que é, sintomas e tratamento

A vasculite cutânea caracteriza-se por um grupo de doenças em que ocorre a inflamação dos vasos sanguíneos, mais concretamente os pequenos e médios vasos da pele e tecido subcutâneo, podendo levar a uma redução ou ao bloqueio da circulação de sangue dentro destes vasos ou a parede destes pode tornar-se mais fina, provocando a sua dilatação.

A inflamação e consequente dilatação destes vasos, pode levar ao surgimento de sintomas como manchas arroxeadas na pele, petéquias, perda da sensibilidade na região e úlceras, que devem ser tratadas o mais brevemente possível.

O tratamento depende da causa que está na origem da vasculite cutânea, podendo consistir em repouso, elevação dos membro e uso de meias de compressão e, em alguns casos, na administração de anti-histamínicos, corticoides e/ou imunossupressores.

Vasculite cutânea: o que é, sintomas e tratamento

Quais os sintomas

Alguns dos sintomas mais comuns da vasculite cutânea ocorrem mais frequentemente nas pernas, com o surgimento de manchas arroxeadas na pele, urticária, formigamento, perda da sensibilidade na região, úlceras e petéquias. Saiba o que são petéquias e quais as principais causas.

Se as manifestações na pele forem secundárias a uma vasculite sistêmica, também podem ocorrer outros sintomas, como febre, mal estar, dor no corpo, cansaço, perda de peso e dor nas articulações.

Saiba mais sobre a vasculite e veja como se manifesta em diferentes regiões do corpo.

Possíveis causas

Algumas das principais causas que podem levar ao surgimento da vasculite cutânea são infecção por bactérias ou vírus, lesões causadas pela ação do próprio sistema imunológico do indivíduo (doenças auto-imunes) e como efeito colateral do uso de certos medicamentos, como antibióticos betalactâmicos, diuréticos, sulfonamidas e anti-inflamatórios não esteroides, por exemplo.

Em que consiste o diagnóstico

O diagnóstico geralmente é feito por um angiologista ou reumatologista, e consiste na observação dos sintomas apresentados, tendo em conta o histórico de saúde da pessoa. Em alguns casos, pode ser necessário realizar exames laboratoriais ao sangue e à urina, e uma biópsia, de forma a determinar qual a causa que está na origem da vasculite, de forma a orientar um tratamento específico. Entenda o que é e como é feita uma biópsia.

Como é feito o tratamento

O tratamento depende da causa que está na origem da vasculite, e pode ser feito com a administração de anti-histamínicos e/ou corticoides. Em casos mais severos, pode ser necessário o uso de imunossupressores, que agem reduzindo a ação do sistema imune contra o próprio corpo.

Além disso, o repouso com a elevação dos membros e a utilização de meias de compressão, podem, em alguns casos, ser suficientes para tratar a vasculite cutânea e contribuir para uma melhora dos sintomas.

Bibliografia >

  • NEDAI. Vasculites. 2006. Disponível em: <https://www.spmi.pt/wp-content/uploads/NEDAI_72.pdf>. Acesso em 03 Ago 2020
  • SCIENCE DIRECT. Cutaneous Vasculitis. 2016. Disponível em: <https://www.sciencedirect.com/topics/medicine-and-dentistry/cutaneous-vasculitis>. Acesso em 03 Ago 2020
  • IMBODEN, J.B. et al. CURRENT reumatologia: diagnóstico e tratamento. 3 ed. Porto Alegre: AMGH, 2014. p. 245-249.
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem