Ventilação não-invasiva: o que é, tipos e para que serve

A ventilação não-invasiva, mais conhecida como VNI, consiste em um método para ajudar na respiração de uma pessoa, através de aparelhos que não são introduzidos no sistema respiratório, como é o caso da entubação que precisa de ventilação mecânica, também chamada de respiração por aparelhos. Este método funciona facilitando a entrada de oxigênio pelas vias aéreas devido à uma pressão de ar, que é aplicada com auxílio de uma máscara, que pode ser facial ou nasal.

Geralmente, o médico pneumologista indica a ventilação não-invasiva para pessoas que tenham doença pulmonar obstrutiva crônica, chamada também de DPOC, asma, edema pulmonar devido problemas no coração e síndrome de apneia obstrutiva do sono, sendo o tipo mais usado o CPAP.

Nos casos em que uma pessoa apresenta bastante dificuldade para respirar, com queda dos níveis de oxigênio no sangue ou não respiram, a ventilação não-invasiva não é indicada, devendo ser realizadas outras técnicas que garantam mais oferta de oxigênio.

Ventilação não-invasiva: o que é, tipos e para que serve

Para que serve

A ventilação não-invasiva serve para melhorar as trocas gasosas, facilitando a respiração através de uma pressão que exerce na abertura das vias aéreas e ajudando nos movimentos de inspiração e expiração. Este método pode ser indicado por um pneumologista ou clínico geral e é realizado por um fisioterapeuta ou enfermeiro em pessoas que apresentam as seguintes condições:

  • Insuficiência respiratória;
  • Doença pulmonar obstrutiva crônica;
  • Edema pulmonar causado por problemas no coração;
  • Asma;
  • Síndrome do desconforto respiratório agudo;
  • Dificuldade respiratória em pessoas imunodeprimidas;
  • Pacientes que não puderam ser entubados;
  • Traumatismo torácico;
  • Pneumonia.

Na maioria das vezes, a ventilação não-invasiva é utilizada em conjunto com o tratamento com medicamentos e têm as vantagens de ser um método que oferece menos risco de infecção, não requer sedação e permite que a pessoa fale, coma e tussa durante o uso da máscara. Como é de fácil utilização, existem modelos portáteis que podem ser usados em casa, como é o caso do CPAP.

Principais tipos

Os aparelhos de ventilação não-invasiva funcionam como ventiladores que soltam ar, aumentando a pressão nas vias respiratórias, facilitando as trocas gasosas e alguns modelos podem ser utilizados em casa. Em geral, estes aparelhos requerem uma regulação específica feitas por um fisioterapia e a pressão é aplicada dependendo da condição respiratória de cada pessoa.

Os tipos de aparelhos utilizados na ventilação não-invasiva possuem várias interfaces, ou seja, existem diferentes máscaras para que seja aplicada a pressão do aparelho sobre as vias respiratórias como as máscaras nasais, faciais, tipo capacete e que são colocadas diretamente na boca. Desta forma, os principais tipos de VNI são:

1. CPAP

O CPAP é o tipo de ventilação não-invasiva que funciona aplicando uma pressão contínua durante a respiração, isto significa que é utilizado somente um nível de pressão, não sendo possível ajustar a quantidade de vezes que a pessoa vai respirar.

Este aparelho pode ser usado por pessoas que tenham controle sobre a respiração e é contra-indicado para pessoas que tenham alterações neurológicas ou problemas respiratórios que dificulta o controle da respiração. O CPAP é muito utilizado para pessoas com apnéia do sono, pois permite que as vias respiratórias fiquem abertas o tempo todo, mantendo a passagem de oxigênio constantemente durante o período que a pessoa está dormindo. Saiba mais sobre como usar e os cuidados com o CPAP.

2. BiPAP 

O BiPAP, também chamado de Bilevel ou Pressão Positiva Bifásica, favorece a respiração através da aplicação da pressão positiva em dois níveis, ou seja, ajuda a pessoa durante a fase de inspiração e expiração, podendo ser controlada a frequência respiratória a partir de uma pré definição do fisioterapeuta.

E ainda, o disparo da pressão é realizado pelo esforço respiratório da pessoa e depois, com a ajuda do BiPAP é possível manter os movimentos da respiração continuamente, não permitindo que a pessoa fique sem respirar, sendo muito indicado para casos de insuficiência respiratória.

Ventilação não-invasiva: o que é, tipos e para que serve

3. PAV e VAPS

O PAV, conhecido como Ventilação Proporcional Assistida, é o tipo de aparelho mais utilizado em hospitais nas UTIs e funciona se adaptando às necessidades respiratórias da pessoa, por isso o fluxo de ar, a frequência respiratória e a pressão que exerce nas vias respiratórias muda de acordo com o esforço que a pessoa faz para respirar.

Já o VAPS, que é chamado de Pressão de Suporte com Volume garantido, é o tipo de ventilador também usado em hospitais, que funciona a partir da regulação da pressão por um médico ou fisioterapia, de acordo com a necessidade da pessoa. Apesar de poder ser usado na ventilação não-invasiva, este aparelho é mais usado para controlar a respiração de pessoas em ventilação invasiva, ou seja, entubadas.

4. Capacete

Esse dispositivo está indicado para pessoas que possuem Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica, que entraram na Unidade de Terapia Intensiva, além de ser a primeira opção para as pessoas em que a via de acesso é difícil, devido à trauma no rosto, ou para aqueles em que está planejada ventilação não invasiva por um longo período.

A diferença para os outros tipos de ventilação não invasiva é a vantagem de fornecer oxigênio à pessoa de forma mais rápida, evitando efeitos adversos e de ser possível fornecer alimentos para a pessoa.

Quando não é indicada

A ventilação não-invasiva é contraindicada nos casos de que a pessoa apresenta condições como parada cardiorrespiratória, perda da consciência, após cirurgias no rosto, traumas e queimaduras na face, obstrução das vias aéreas. 

Além disso, é preciso ter precaução em utilizar este método em mulheres grávidas, e pessoas que estejam realizando nutrição por sonda, com obesidade mórbida, ansiedade, agitação e claustrofobia, que é quando uma pessoa tem a sensação de ficar presa e a incapacidade de ficar em lugares fechados. Saiba mais como é feito o tratamento para a claustrofobia.

Esta informação foi útil?
Atualizado por Manuel Reis, Enfermeiro - em Março de 2021. Revisão clínica por Marcelle Pinheiro, Fisioterapeuta - em Dezembro de 2020.

Bibliografia

  • FERREIRA, Susana; NOGUEIRA, Carla; CONDE, Sara; TAVEIRA, Natália. Ventilação não invasiva. Rev Port Pneumol. Vol.15, n.4. 655-667, 2009
  • SCHETTINO, Guilherme P. P. et al. Ventilação mecânica não invasiva com pressão positiva. J. bras. pneumol. Vol.33, suppl.2. 92-105, 2007
  • HOSPITAL MUNICIPAL MIGUEL COUTO. Oxigenoterapia e ventilação não invasiva. Disponível em: <http://www.szpilman.com/CTI/protocolos/Oxig%C3%AAnio%20e%20ventila%C3%A7%C3%A3o%20n%C3%A3o%20invasiva.pdf>. Acesso em 06 Jan 2020
  • BELLO, Giuseppe; PASCALE, Gennaro; ANTONELLI, Massimo. Noninvasive Ventilation. Clinics in Chest Medicine. Vol. 37, n.4. 711-721, 2016
  • KINNEAR, W. Non-invasive ventilation in acute respiratory failure. Thorax. Vol.57. 192-211, 2002
Mais sobre este assunto: